25 de abril de 2014

Presença de juíza que ordenou desocupação do Pinheirinho na Vara da Mulher causa indignação

25/4/2014 - Na palestra realizada pela Câmara de São José dos Campos, na última quarta-feira, dia 23, com a ativista Maria da Penha, sobre violência contra as mulheres, um fato causou indignação em muitas pessoas.

Presente na mesa do evento estava a juíza Márcia Loureiro, que decidiu pela desocupação do Pinheirinho há pouco mais de dois anos.

Márcia Loureiro foi designada desde o final do ano passado para a Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de São José dos Campos e participou da palestra, assinando termos de compromisso da Campanha “Compromisso e Atitude: Lei Maria da Penha – a lei é mais forte”.

O Movimento Mulheres em Luta (MML) considera absurda a presença da juíza no evento e na Vara da Mulher.

A ação de desocupação do Pinheirinho foi marcada pela violação dos direitos humanos e pela violência, que afetou milhares de mulheres que moravam na ocupação com seus filhos.

Essa juíza ordenou a desocupação do Pinheirinho, em janeiro de 2012, um dos episódios mais violentos da história da cidade. Quem mais sofreu com aquele despejo foram, principalmente, as mulheres. A maior parte das famílias que viviam no Pinheirinho era chefiada por mulheres”, disse Janaína dos Reis, do MML do Vale do Paraíba.

 “É preciso todo repúdio à presença desta juíza nessa vara e sua participação em eventos sobre o tema da violência contra a mulher. Chega a ser um desrespeito”, afirmou Janaína.