27 de fevereiro de 2014

Somos todas Sandra na luta contra o machismo e a exploração!

27/2/2014 - No dia 17 de fevereiro de 2013, Sandra Lúcia Fernandes, 48 anos, e seu filho, Icauã Rodrigues, 10 anos, foram brutalmente assassinados a facadas pelo até então namorado dela, Marco Aurélio, 23 anos. O crime aconteceu na cidade de Olinda-PE. O assassino foi preso poucas horas depois e aguarda julgamento.

Sandra era uma ativista da luta contra o machismo e o capitalismo. Era parte do Movimento Mulheres em Luta (MML), membro da direção do Sindicato Municipal dos Profissionais de Ensino da Rede Oficial do Recife (SIMPERE) e militante do PSTU há 10 anos. Nunca se conformou com a opressão e a exploração às mulheres, mas foi vítima exatamente daquilo contra o que lutava. Num país em que a cada 24h, 15 mulheres são assassinadas e que ocupa o 7º lugar no ranking da violência, ninguém está livre dessa cruel realidade, nem mesmo as feministas classistas e revolucionárias.

Na história do PSTU, é a primeira vez  que uma de nós é assassinada pelo machismo. Lamentamos imensamente a perda de Sandra, mas não nos conformamos. Transformaremos essa tristeza em convicção e força para seguir lutando contra a opressão e a exploração das mulheres trabalhadoras.

Em Recife, houve um ato de professores logo depois de sua morte, pelo fim da violência contra a mulher. Agora, no  8 de março,  estamos nas ruas para exigir que no governo da primeira mulher presidente, o machismo não faça mais vítimas, não mate nossas lutadoras, não apague os gritos das que não aceitam as coisas como estão.

Exigimos a condenação do criminoso e que a Lei Maria da Penha seja aplicada! Que o governo Dilma deixe de gastar bilhões na Copa e no pagamento da dívida pública e aplique mais recursos para o combate à violência. Queremos uma sociedade na qual as mulheres possam ser livres, uma sociedade socialista. Enquanto houver uma mulher oprimida e explorada nesse país, Sandra e Icauã estarão sempre presentes!