16 de janeiro de 2015

Manifestantes vão hoje às ruas de São José em ato contra passagem de R$ 3,40

16/1/2015 - Manifestantes organizados na Frente de Luta pelo Transporte tomam as ruas de São José dos Campos nesta sexta-feira, dia 16, no primeiro ato contra o aumento da tarifa de ônibus na região. O protesto está marcado para as 17h, na Praça Afonso Pena, no centro.

A manifestação tomou força nos últimos dias, principalmente após o anúncio pela Prefeitura (PT) do reajuste de 13% na passagem de ônibus na cidade, que elevou a tarifa de R$ 3 para R$ 3,40.

Trabalhadores, estudantes, ativistas do movimento sindical e popular devem engrossar o protesto e o objetivo é barrar o reajuste, assim como ocorreu em junho de 2013.

Naquele ano, manifestações leveram milhares de pessoas às ruas e fizeram o prefeito Carlinhos Almeida (PT) reduzir o valor. A passagem que havia sido reajustada de R$ 2,80 para R$ 3,30, primeiramente caiu para R$ 3,20 e depois para R$ 3.

Este ano, novamente o clima na população é de revolta contra o reajuste. O sentimento geral é de que o aumento é abusivo, seja por que representa o dobro da inflação do período, seja por que o transporte continua cada vez mais caro e de má qualidade.

O pacote social e o pacote aos empresários
A Prefeitura anunciou um suposto pacote social, que prevê gratuidade nos ônibus a todos os alunos do ensino médio matriculados na rede pública, desde que comprovem ser de baixa renda. O benefício também será estendido a gestantes e pacientes com câncer atendidos pela rede pública.

A proposta seria votada em sessão extraordinária no dia de hoje, mas acabou sendo adiado para a volta dos vereadores após o recesso na Câmara.

Os manifestantes, contudo, encaram a proposta como insuficiente, pois não minimiza de forma efetiva o aumento abusivo da passagem. Avaliam ainda que é apenas uma forma de tenta esvaziar a mobilização popular.

"A Prefeitura tenta iludir com esse tal pacote social, mas não fala do pacote de isenções fiscais  que concederam às empresas de ônibus desde 2013. O prefeito zerou o ISS das empresas até 2016, isentou as garagens de pagar IPTU e autorizou a comercialização de publicidade nos ônibus. Ou seja, é dinheiro público sendo usado para garantir mais lucros aos empresários", criticou o presidente do PSTU de São José dos Campos e suplente de deputado federal Toninho Ferreira.

"É nas ruas que podemos impedir esse ataque que penaliza a população, tirando o seu direito de ir e vir, de ter acesso à cidade", afirmou Toninho.

"O PSTU defende que o transporte público deve ser municipalizado, sob controle dos trabalhadores e da população. Como uma empresa pública, poderíamos ter tarifa zero e o transporte funcionaria para atender as necessidades do povo e não a ganância de empresários", concluiu.