1 de agosto de 2014

Fala Toninho: É preciso por fim à PM e criar uma nova polícia civil controlada pela população


1/8/2014 - Um relatório da organização internacional Human Rights Watch, divulgado essa semana, denunciou graves violações dos direitos humanos pela PM de São Paulo. A organização identificou a prática de tortura, choques elétricos, estupros, tratamento desumano e degradante por parte da Polícia Militar e de agentes penitenciários do sistema carcerário do estado.

Outro dado preocupante em relação à PM: entre janeiro e junho deste ano, 317 pessoas foram mortas por policiais militares em serviço em todo o Estado. Esse número representa um aumento de 111,3% em comparação com o mesmo período do ano passado (150).

Os dados continuam constatando: a PM paulista é uma das mais violentas do mundo. E também mais ineficiente. É uma polícia que não age preventivamente ou que investiga e soluciona crimes. O fato é que o PSDB, há 20 anos a frente do governo no estado, mantém uma PM mais preocupada em reprimir, do que prevenir.

A Polícia Militar é uma herança maldita da ditadura em nosso país. Não à toa, ela faz uso ainda hoje das mesmas práticas de tortura usadas naquela época, como choques elétricos, espancamento e sufocamento com saco plástico, como denuncia a Human Rights.

As cenas bárbaras de repressão às manifestações que acompanhamos desde o ano passado, a violência contra a população negra e pobre da periferia e a criminalização dos lutadores e movimentos sociais também são parte dessa herança que temos que combater.

O mal da PM está em sua raiz e em sua estrutura. Os policiais são treinados para isso, para ver na população um inimigo.

Por isso, combater essa visão de polícia significa cortar o mal pela raiz, com a desmilitarização da PM. É preciso acabar com a PM e criar uma polícia civil unificada, controlada pela população. Desmilitarização da PM, já!

Fonte: http://www.toninhopstu.com.br/