10 de março de 2017

Dia 15 de março vai ser maior! Abaixo as reformas da Previdência e Trabalhista!

10/3/2017 - Depois de um grandioso dia internacional de luta das mulheres trabalhadoras no dia 8, as forças agora estão concentradas em realizar um dia nacional de mobilização na próxima semana, dia 15 de março. Será um dia de lutas e paralisações em todo o país contra as reformas da Previdência e Trabalhista do governo Temer.

Convocada por todas as centrais sindicais brasileiras, a data promete ser um forte dia de manifestações, que pode avançar na construção da greve geral no país. Várias categorias já estão confirmando greves, paralisações, cortes de estradas e protestos.

Em São Paulo, na maior capital do país, os metroviários já confirmaram paralisação de 24 horas. Condutores também decidiram que vão parar, assim como metalúrgicos, professores estaduais e municipais, trabalhadores das indústrias químicas, bancários, funcionários do Judiciário, estudantes e professores da USP, eletricitários, Correios, movimento popular, entre outros.

Além das paralisações que vão agitar as bases das categorias, fábricas, bancos, escolas, etc, um ato unificado está marcado para as 16 horas, na Avenida Paulista.

A exemplo das manifestações que tomaram várias capitais e cidades brasileiras no último dia 8, o quadro irá se repetir neste dia 15, de norte a sul do Brasil.

Vale do Paraíba
Em nossa região, o quadro é semelhante. Importantes categorias já definiram que vão promover paralisações, como os metalúrgicos.

O Fórum de Luta do Vale do Paraíba, que reúne sindicatos de diversas categorias, como químicos, petroleiros, trabalhadores da indústria da alimentação, aposentados e movimentos sociais, já vem trabalhando para a construção deste dia de luta e tem reunião marcada para a próxima segunda-feira, dia 13, para bater o martelo nas mobilizações que ocorrerão na região.

O Fórum Interinstitucional de Defesa do Direito do Trabalho e da Previdência Social do Vale do Paraíba, lançado nesta quinta-feira, que reúne amplos setores da sociedade, como juízes, procuradores do Ministério Público do Trabalho, advogados, auditores do trabalho, representantes religiosos e dirigentes sindicais de diversas categorias, também está convocando o dia de luta.

Um ato unificado no centro de São José dos Campos, às 10 horas, já está confirmado.

Toda força para derrotar as reformas!
Se depender dos trabalhadores as reformas da previdência e trabalhista não passam. Pesquisas atestam uma ampla rejeição às medidas do governo. Segundo o Instituto Paraná Pesquisas, 73% da população é contra a principal medida que Temer elegeu como uma das principais do seu ajuste fiscal.

Mas, para além das pesquisas, exemplos da disposição de luta da classe para barrar essas reformas que representam um retrocesso histórico aos direitos também não faltam. As mobilizações que levaram milhares de trabalhadores e trabalhadoras às ruas no último dia 8 tiveram como eixo não só a luta contra a violência às mulheres, mas também contra as reformas.

“Temer e esse Congresso de corruptos e inimigos da classe trabalhadora, apesar de estarem afundados na corrupção, estão dispostos a impor as reformas para atacar a aposentadoria e os direitos dos trabalhadores, a todo o custo. Tudo para garantir seus privilégios e os lucros de banqueiros e grandes empresários. Mas esse governo é fraco e impopular. Se as mobilizações se intensificarem, é possível barrar não só as reformas, como por pra fora esse bando de corruptos”, avalia o presidente do PSTU de São José dos Campos, Toninho Ferreira.

 “Organizar e mobilizar a classe trabalhadora é tarefa de todas as centrais sindicais. A CSP-Conlutas está empenhada nesse objetivo e esperamos que as demais façam o mesmo, sem cair no erro de tentar remediar as reofrmas, negociando com o governo. É preciso barrá-las integralmente. O PSTU vai jogar todas as forças para construir um grande dia de mobilização neste dia 15 de março para darmos mais um passo rumo à Greve Geral. Com isso poderemos derrotar todos eles”, afirmou Toninho.