29 de janeiro de 2015

A luta continua: São José e Jacareí terão novos protestos contra aumento da passagem

29/1/2015 - No domingo, dia 1° de fevereiro, é a vez da população de Jacareí sofrer com o aumento da passagem de ônibus. Assim como São José, a Prefeitura (PT) também fez a vontade dos empresários da JTU e autorizou o reajuste da tarifa. O valor na cidade passará dos atuais R$ 3 para R$ 3,40.

Sindicatos, estudantes, movimentos sociais e culturais de Jacareí já organizam a mobilização para tentar barrar o aumento. Nesta sexta, dia 30, o grupo convocou a primeira manifestação. Será às 15h, em frente à Prefeitura.

Os manifestantes defendem a revogação imediata do aumento da passagem, passe livre, gratuidade total e irrestrita para maiores de 60 anos, abertura de diálogo sobre a forma de integraçãodo transporte, melhoria nas condições do transporte e transparência e abertura das contas da empresa de ônibus JTU.


Revoga Carlinhos
A Frente de Luta pelo Transporte de São José já programou para a próxima quarta-feira, dia 4, mais um protesto contra o aumento da tarifa. A manifestação está marcada para às 17 horas, na Praça Afonso Pena.

Com o lema "Revoga Carlinhos", os manifestantes já realizaram três protestos e o objetivo é buscar avançar na mobilização. A volta às aulas nas escolas públicas e privadas a partir da próxima semana pode contribuir para isso.

Reajuste imoral e ilegal
A abusividade dos aumentos na passagem de ônibus também vem sendo alvo de questionamento na justiça.

Em São José, a Defensoria Pública tenta barrar o reajuste por meio de uma medida cautelar protocolada no último dia 16. A ação, que teve parecer favorável do Ministério Público, será julgada na 2ª Vara da Fazenda Pública.

No processo, a Defensoria afirma que a Prefeitura de São José dos Campos vem descumprindo a lei orgânica do município, que prevê auditorias anuais no sistema de transporte coletivo, um comitê com a sociedade para discutir as demandas do serviço e a transparência na tabela de custos apresentada pela empresa à administração municipal - o documento é a base para determinar o reajuste.

É o que também denunciam os manifestantes. "Em São José, a Prefeitura vai abrir mão de cerca de R$ 18,9 milhões com a isenção de ISS concedida às empresas. Ainda assim, os empresários continuam chorando, sem contudo abrir de forma transparente seus livros, seus custos. A questão é que as empresas e a Prefeitura tratam o transporte público como mercadoria para dar lucro a qualquer custo, enquanto a população sofre em ônibus lotados", afirma Danilo Zanelato, da Associação Nacional dos Estudantes Livre (Anel).

"A população não pode aceitar esses aumentos abusivos. Chega de exploração. Em 2013, com luta, a juventude e os trabalhadores derrubaram os reajustes da tarifa em todo o país. È nas ruas que podemos pressionar os governantes a revogarem este novo aumento", afirma.