12 de agosto de 2014

Em greve, operárias da 3C têm curso de mais-valia na porta da fábrica


 12/8/2014 - Quem produz a riqueza do país? Esta foi a questão central discutida pelas trabalhadoras da 3C, fábrica de Caçapava, durante o curso de mais-valia realizado em plena greve, na porta da empresa, nesta terça-feira, dia 12.

As metalúrgicas pararam as atividades por um dia em sinal de alerta à empresa pelo assédio moral e prática anti-sindical impostas às trabalhadoras, que estão em luta por direitos e melhores condições de trabalho.

A atividade foi realizada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região e mostrou, por meio de dinâmicas de grupo, como a riqueza é produzida pelos trabalhadores nas fábricas e apropriada pelos patrões.

A 3C é uma fábrica do setor eletroeletrônico, fornecedora de componentes para a LG. Com cerca de 80 funcionários, a fábrica é composta majoritariamente por mulheres, um dos setores mais explorados da sociedade, exercendo os serviços mais precarizados e com menores salários.

Neste sentido, o curso sobre mais-valia na porta da empresa durante uma paralisação foi uma atividade inovadora para a conscientização das metalúrgicas sobre como ocorre a exploração na sociedade capitalista.


Na última semana, as metalúrgicas já haviam realizado uma paralisação em função da comida estragada servida no restaurante da empresa. Com duas paralisações, as trabalhadoras demonstram a força e a coragem das mulheres que vão à luta por seus direitos.

O metalúrgico e candidato a deputado estadual pelo PSTU, Herbert Claros, esteve presente e prestou solidariedade à luta das companheiras.