30 de outubro de 2013

Todo apoio aos professores municipais de Caçapava!

30/10/2013 - Professores municipais de Caçapava realizaram nesta terça-feira, dia 29, um protesto em frente à Câmara Municipal contra a campanha de difamação que vereadores da cidade estão fazendo à categoria.

A manifestação reuniu cerca de 150 pessoas, das 18h às 20h30, e teve o apoio do Sindicato dos Professores do Estado de São Paulo (Apeoesp), Oposição Alternativa da Apeoesp, Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Caçapava, Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e região, Movimento Mulheres em Luta (MML), CSP-Conlutas e o PSTU.

Sensacionalismo
O presidente da Câmara Paulo Lanfredi (PRB) usou a tribuna da Câmara para atacar os professores após uma festa realizada no último dia 18, em comemoração ao Dia do Professor.

A festa contou com a banda "Mala Direta", que costuma fazer apresentações e animações específicas das músicas tocadas. Ao final da festa, ao animar a música "It´s raining men", dançarinos entraram no palco.

As fotos da apresentação foram divulgadas no Facebook, de forma sensacionalista, com acusações de "orgia", "indecente", "escândalo", "vergonha", "imoral" e "prostituição".

Desde então, uma campanha contra os professores tem sido feita por vereadores e setores conservadores da cidade.

"Fizeram uso indevido da imagem dos professores, que estavam participando de uma festa fechada. Além disso estamos questionando também o juízo de valor. Esse vereador nos julgou e nos condenou, causando prejuízo à honra dos professores", disse Solange Assunção de Castro, da executiva regional da Apeoesp.

"Ele não tem o direito de julgar o que é ou não imoral para nós fazermos no nosso horário de descanso. Queremos uma retratação porque repudiamos as palavras usadas por ele", afirmou Margareth Porto Silva, presidente do Sindicato dos Servidores.

Guerra política
O caso está sendo utilizado em uma guerra política entre a Prefeitura e a oposição.
Vereadores atacam os professores para responsabilizaar o governo e o secretário de Educação Sidney Sanita. Por outro lado, o prefeito Henrique Rinco (PSDB), que esteve na festa, está tentando tirar o corpo fora, de forma lamentável.

"É absurdo que o presidente da Câmara e vereadores ataquem uma categoria que já vem sendo alvo da desmoralização, com a falta de investimentos e precarização da educação pública", afirma Cleusa Trindade, da Oposição Alternativa da Apeoesp.

"É uma campanha desrespeitosa e machista. Os vereadores podem fiscalizar o uso de dinheiro público se acharem que há algo irregular, mas não podem fazer uma guerra política para atacar os professores, inclusive incitando a população contra as companheiras, ameaçando até sua segurança. Não vamos admitir esse tipo de postura", disse Janaína dos Reis, do Movimento Mulheres em Luta.