6 de março de 2014

Sábado, dia 8 de março, vamos às ruas por direitos e para dizer não ao machismo e à violência contra as mulheres


6/3/2014 - Sábado, 8 de março, é Dia Internacional de Luta das Mulheres Trabalhadoras. Não será um mero dia comemorativo como empresas e propagandas na tevê tentam mostrar. É um dia de denúncia e luta contra o machismo, a violência e por mais direitos.

O Brasil segue sendo um país machista onde morrem 15 mulheres por dia, vítimas da violência. A cada dois minutos, cinco são espancadas, sendo 60% delas negras. Em 2012, mais de 50 mil casos de estupros foram registrados.

No último dia 17 de fevereiro, Sandra Fernandes, professora e militante do Movimento Mulheres em Luta, foi mais uma vítima do machismo e da violência. A companheira foi assassinada, junto com seu filho Icauã, de 10 anos, pelo namorado. Sandra levou nove facadas e seu filho, 11. Casos absurdos como esses são um retrato cruel da realidade no país.

O governo Dilma gasta mais de R$ 30 bilhões na Copa do Mundo e isenta a Fifa de impostos, mas investe apenas R$ 25 milhões em programas contra a violência à mulher, o que dá apenas 25 centavos por brasileira. Um escândalo! É por isso que os serviços de proteção às mulheres vítimas de violência são muito ruins e não conseguem atender à enorme demanda em todo o país.

Dilma diz governar para as mulheres trabalhadoras e muitas creditam à presidente o fato de terem melhorado suas vidas, sobretudo em razão do programa Bolsa Família, no qual 93% das bolsas são distribuídas no nome das mulheres. Mas, se Dilma invertesse de fato as prioridades do seu governo e colocasse as necessidades da mulher trabalhadora em primeiro plano, seria possível melhorar muito mais a vida das mulheres.

As mulheres trabalhadoras passam noites nas filas dos hospitais e na espera por vagas em creches públicas. Isso acontece por que a saúde e a educação são áreas que recebem muito pouco investimento do governo. Na previsão do Orçamento Geral da União, permanece uma injustiça muito grande: 3,91% para a Saúde; 3,44% para a educação e 42% para a dívida pública.

Nos protestos que tomaram o país em junho do ano passado, as mulheres eram milhares entre os manifestantes e traziam em faixas, bandeiras e cartazes suas lutas, como contra a violência machista, o projeto de lei conhecido como “bolsa estupro” e exigências de serviços públicos de qualidade.

Ato na Praça Afonso Pena
Neste sábado, às 10 horas da manhã, haverá ato na Praça Afonso Pena, no Centro de São José dos Campos.

Vamos às ruas protestar contra o machismo, a violência e o desrespeito aos nossos direitos. Queremos creches, transporte público, hospitais e escolas de qualidade, igualdade salarial, o fim da violência e do machismo!

Vamos homenagear nossa companheira Sandra Fernandes e mostrar nossa indignação com esse crime e todos os outros que poderiam ser evitados se a Lei Maria da Penha fosse, de fato, implementada a partir de condições garantidas pelo governo.


- Chega de dinheiro para a Copa! Queremos dinheiro para o combate à violência, saúde, educação, moradia e transporte!

- Chega de estupros e mortes! Basta de violência contra as mulheres!

- Pela ampliação e implementação da Lei Maria da Penha!

- Não ao Bolsa Estupro! Estuprador não é pai! Pelo arquivamento do PL 478/07!

- Educação sexual para não engravidar, anticoncepcionais gratuitos para não abortar e aborto legal, seguro e gratuito para não morrer!

- Não ao turismo sexual! Contra o PL 4211/2012, que regulamenta a prostituição como profissão!

- Chega de violência e assédio contra as mulheres nos transportes públicos!

- Não ao aumento da tarifa! Passe Livre Já! 2% do PIB para o transporte já!

- Mais recursos para atendimento especializado à saúde da mulher!

- 10% do PIB para a Saúde Pública!

- Creches públicas, gratuitas, estatais e de qualidade!

- 10% do PIB para a Educação Pública Já!

- Todo apoio às ocupações sem teto pelo país!

- Mais investimento público para moradias populares!

- Salário Igual para Trabalho Igual!

- Pelo fim das terceirizações! Não ao PL 4330!

- Não ao pagamento das dívidas interna e externa!

- Basta de repressão! Contra a Lei Antiterror!

- Por uma sociedade sem machismo e sem exploração! Por uma sociedade socialista!



Confira o jornal especial de 8 de março do Movimento Mulheres em Luta