24 de outubro de 2014

Escândalo: em gravação, presidente da Sabesp afirma que recebeu ordens para não falar sobre crise da água


24/10/2014 - Nesta sexta-feira, dia 24, foi divulgado pela imprensa o áudio de uma reunião em que a presidenta da Sabesp, Dilma Pena, afirma que recebeu ordens de “superiores” para não falar sobre a gravidade da crise de falta d´água no estado de SP e pedir à população para que economizasse água.

No áudio (https://soundcloud.com/revistaforum/audio-sabesp-dilma-pena), a presidente da Sabesp demonstra que estaria em desacordo com o que os “superiores” estão fazendo. “A Sabesp tem estado muito pouco na mídia, acho que é um erro. Nós tínhamos que estar na mídia, com os superintendes locais, nas rádios comunitárias, Paulo [Massato] falando, eu falando, o Marcel falando, todos falando, com um tema repetido, um monopólio: ‘Cidadão, economize água’.”

A gente tem que seguir orientação… A orientação não tem sido essa, mas é um erro. Tenho consciência absoluta e falo para pessoas com quem converso sobre esse tema, mesmo meus superiores, acho um erro essa administração da comunicação dos funcionários da Sabesp, que são responsáveis por manter o abastecimento, com os clientes”, afirmou Dilma Pena.

Uma vez que Dilma Pena é presidente da Sabesp, acima dela só o governo de São Paulo e os acionistas da empresa, que tem ações na Bolsa de Valores. Portanto, o áudio confirma o que já se imaginava: o governo do PSDB escondeu a gravidade da crise de falta d´água para não prejudicar a reeleição de Alckmin e a campanha de Aécio Neves.

Um verdadeiro estelionato eleitoral! Um crime!

Como já dissemos anteriormente, é criminosa a postura da Sabesp e do governo Alckmin diante dessa crise de abastecimento de água. A falta de água já atinge, total ou parcialmente, mais de 70 municípios e prejudicam milhões de pessoas. Mas Alckmin e a Sabesp seguem negando que estão impondo racionamento à população.

Como sempre, os mais penalizados são os bairros das periferias, a população mais pobre.
O governo do estado e a Sabesp têm de ser responsabilizados por essa situação. Não só por esse estelionato eleitoral, por essa tentativa de enganar a população, mas por que, de fato, eles são os responsáveis por essa crise de desabastecimento.

Não é a falta de chuvas a causa dessa situação. A estiagem só agravou o problema que já vinha sendo alertado desde 2003. Mas, como a Sabesp também é controlada por acionistas privados que visam apenas o lucro, a empresa e o governo do PSDB deixaram de fazer os investimentos necessários.

Passado o 2° turno das eleições, a verdade e a crise virão cada vez mais à tona. A população já começou a se mobilizar Os protestos já começaram. Este é o caminho. É assim que vamos cobrar a punição dos responsáveis e exigir medidas para resolver essa grave crise social.

Por Toninho Ferreira, presidente PSTU de São José dos Campos e 1° suplente de deputado federal