22 de julho de 2016

Convenção do PSTU confirma Toninho como candidato a prefeito de SJC e lança candidaturas classistas e socialistas para vereador

22/7/2016 - São José dos Campos terá candidaturas socialistas e classistas que vão defender uma cidade para os trabalhadores e o povo pobre nestas eleições. Em convenção nesta quinta-feira, dia 21, o PSTU confirmou Toninho Ferreira, presidente municipal do partido e suplente de deputado federal, como candidato a prefeito, e divulgou a chapa de vereadores do partido.

O plenário da antiga Câmara Municipal, localizada no centro da cidade na Praça Afonso Pena,ficou cheio. Trabalhadores de várias categorias, dirigentes sindicais, ativistas, sem-teto, sem-terra, juventude e aposentados estavam entre as cerca de 150 pessoas presentes.


Os candidatos para vereador apresentados pelo partido são Ernesto Gradella (ex-deputado federal), Luiz Carlos Prates – Mancha (dirigente CSP-Conlutas), Herbert Claros (metalúrgico da Embraer e vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos), Marcílio Medeiros (trabalhador dos Correios e dirigente sindical), Lauro Claudino (metalúrgico da GM e dirigente sindical), Eduardo de Toledo – Alemão (metalúrgico da GM e cipeiro), Raquel de Paula (trabalhadora dos Correios e dirigente sindical), Janaina dos Reis (dirigente da CSP-Conlutas e do Movimento Mulheres em Luta).

O cargo de vice-prefeito(a) será indicado pelo PSOL, partido com o qual a convenção aprovou coligação. O PSOL realiza convenção no próximo dia 2 de agosto.

Uma alternativa socialista em São José
Nas falas feitas pelos candidatos do partido e de representantes do PSOL e de algumas entidades, o destaque foi para a necessidade de apresentar um programa em São José nestas eleições voltado aos interesses dos trabalhadores e do povo da periferia. Com claro eixo de defesa da estratégia socialista, temas diversos foram abordados, desde a crise política nacional, a traição do PT e a decepção da classe trabalhadora, a falência do capitalismo e seu sistema político e econômico, entre outros.
(confira aqui vídeo com as falas dos candidatos a vereador).

Ex-deputado federal e militante histórico do PSTU, Ernesto Gradella destacou que as eleições municipais este ano ocorrerão em meio à grave crise econômica e política do país. “Teremos uma tarefa neste momento de discutir com toda a população a situação que estamos vivendo, que é nacional, mas que afeta o municipal também. Por isso, as candidaturas do PSTU terão a tarefa de enfrentar as máquinas eleitorais da burguesia, mas de conscientizar os trabalhadores e a população da necessidade de lutar e por todos eles para fora, e construir uma nova alternativa da classe trabalhadora”, disse.

“Nossas candidaturas estarão a serviço das lutas dos trabalhadores e dos setores explorados e oprimidos da cidade, como a população da periferia, das mulheres, negros e negras, LGBTs, juventude e aposentados”, afirmou.

Ana Pagamunici, da direção nacional do PSTU, ressaltou que o momento no país é complexo, com muitos ataques aos trabalhadores. “Nossa classe viu uma derrota com a traição e degeneração do PT, está confusa, mas ainda acredita que é possível lutar. Há lutas em todo o país. Nas eleições, o PSTU vai discutir que não basta somente lutar para arrancar aumento e defender direitos, mas que é preciso construir uma nova alternativa politica. Um governo dos trabalhadores, sem patrões, sem corruptos, baseados em conselhos populares”, disse.

“Infelizmente, grande parte da esquerda comprou o discurso do golpe feito pelo PT, enfraquecendo a luta para enfrentar a direita e também o governismo, o PT, que tanto atacou os trabalhadores. As eleições também são o momento de denunciar tudo que está acontecendo e por isso o PSTU decidiu lançar candidaturas próprias nas principais cidades do país, com exceções, como foi possível aqui em São José”, explicou.

“Nossas candidaturas vão denunciar o que ocorre nacionalmente, o que PT, PSDB, PMDB e os partidos no Congresso estão fazendo, pois aqui em São José eles não farão isso. Vão fingir que seus partidos não têm nada a ver com os ataques e a piora nas condições de vida, o desemprego, a inflação. É preciso alguém que denuncie para a população o que está acontecendo, os responsáveis e que é preciso lutar para por para fora todos eles”, falou.

Wellington Cabral, dirigente do Sindicato dos Químicos, falou em nome do PSOL. “É uma honra estar na convenção de um partido revolucionário e um orgulho por que conseguimos construir a frente de esquerda em São José. Sabemos que as eleições não vão mudar a vida dos trabalhadores, mas é um momento importante para os revolucionários denunciar tudo que acontece”, falou Cabral.

Em contraponto ao discurso de que o governo Dilma foi vítima inocente de um golpe, como defende a direção nacional do próprio PSOL, Cabral, que é militante da corrente interna do PSOL Liga Socialista (LS), afirmou: “Golpe sofreram os trabalhadores neste país por parte do PT, PSDB, PMDB e o Congresso, que atacam duramente os direitos sociais e trabalhistas. Por isso, a importância é nos unirmos nas eleições e também nas lutas para por para fora todos os corruptos e os que apoiam ajustes contra os trabalhadores”.

Toninho encerrou a convenção. “Estou confiante que, mesmo com uma campanha modesta financeiramente, com poucos recursos, faremos uma das maiores campanhas que já fizemos em defesa dos trabalhadores e dos setores mais explorados e oprimidos. Tenho esta convicção ao ver este plenário cheio de lutadores sociais, novos e mais antigos, dirigentes sindicais, trabalhadores de várias categorias, aqueles que têm coragem para lutar. São esses que queremos representar”, disse.

“Vamos defender um programa socialista para São José. Defender a pauta que a juventude levantou em 2013, como a tarifa zero. Para isso, nossa proposta é a municipalização das empresas de ônibus para garantir transporte gratuito e de qualidade; o fim da privatização da saúde, direcionar o rico orçamento da cidade para, entre outras demandas da população trabalhadora e pobre, garantir mais creches. Vamos defender um programa, não para beneficiar os ricos como fez o atual governo do PT e o anterior do PSDB, mas para atender as demandas do povo trabalhador”, afirmou.

“Faremos a diferença. A única candidatura de esquerda em São Jose para denunciar a falsa polarização entre os partidos da burguesia. As candidaturas do PSTU estarão a serviço das lutas dos trabalhadores e da defesa de uma cidade para os trabalhadores e o povo pobre”, afirmou Toninho.
Ao final, os presentes entoaram a Internacional, o simbólico e histórico hino dos socialistas em todo o mundo.

Confira o álbum de fotos da convenção no Face