1 de junho de 2015

Congresso da CSP-Conlutas: um encontro para fortalecer e unificar as lutas


1/6/2015 - A CSP-Conlutas realiza essa semana, de 4 a 7 de junho, o seu 2° Congresso Nacional, em Sumaré/SP. O encontro deverá reunir cerca de 3.000 pessoas de todo o país.

No momento em que os trabalhadores sofrem os mais brutais ataques aos seus direitos, o 2° Congresso da CSP-Conlutas deverá reunir os ativistas das principais lutas em curso no país, como professores, servidores públicos, metalúrgicos, operários da construção civil, entre outras.

A expectativa da CSP-Conlutas é a realização de um grande congresso com expressiva participação das bases sindicais e populares do campo e da cidade. Trabalhadores das mais diversas categorias e ativistas dos movimentos popular, estudantil e contra as opressões estarão presentes.

A situação política e econômica do país, a construção de uma Greve Geral, os ataques aos direitos, o balanço da atuação da central serão alguns dos temas em debate.

O presidente nacional do PSTU, Zé Maria, fará parte de um dos painéis do Congresso. No dia da abertura, às 15h, Zé Maria juntamente com Mauro Iasi (PCB) e Luciana Genro (PSOL) farão um debate sobre a conjuntura nacional e internacional.

O Vale do Paraíba enviará uma delegação com cerca de 140 trabalhadores(as) de várias categorias.

Organizar a luta e a resistência
A CSP-Conlutas vem se fortalecendo como uma referência de sindicalismo combativo e classista, uma alternativa para a organização da classe trabalhadora no país. De oposição de esquerda aos governos e patrões, a central tem se colocado à frente das principais lutas em defesa dos trabalhadores no último período.

O Congresso será um importante passo para unificar e fortalecer as lutas em curso e definir a intervenção da central no próximo período.

Avançar nas mobilizações e unificar as lutas é um dos principais desafios para a classe trabalhadora no próximo período. Só a resistência e a luta dos trabalhadores pode barrar os ataques do governo, Congresso Nacional e empresários, bem como criar as condições para construir uma alternativa de poder dos trabalhadores, sem patrões e sem corruptos”, avalia Toninho.

Esse congresso será um momento privilegiado para avançarmos nessa organização e resistência”, disse.

Após o 2° Congresso da CSP-Conlutas, nos dias 8 e 9, em Campinas, acontecerá o Encontro Internacional da Rede Sindical de Solidariedade e Lutas. As lutas e a organização internacional da classe trabalhadora estarão em debate.

O evento é organizado pela CSP-Conlutas, do Brasil, Solidaires, da França, e CGT, da Espanha. Estarão presentes cerca de 100 representantes de 30 países, como EUA, Argentina, Chile, Egito, Espanha, França, Inglaterra, Itália, México, dentre outros.


Confira a programação do 2° Congresso da CSP-Conlutas 
(acesse a página especial do congresso: http://cspconlutas.org.br/congresso/)

5.ª feira – 4 de junho
8 horas – Abertura do credenciamento
10 horas – Ato de abertura do Congresso, votação do Regimento e recursos ao Congresso
13 horas – Almoço
15 horas – Painel de debate sobre a conjuntura nacional e internacional (serão convidados os companheiros Zé Maria e Mauro Iasi e a companheira Luciana Genro)
17 horas – Grupos de trabalho (Conjuntura Nacional e Internacional)
20 horas – Encerramento e jantar

6.ª feira – 5 de junho
9 horas – Falas ao Congresso das organizações políticas que compõem a Central
10 horas – Painel
12 horas – Almoço
14 horas – Trabalhos em grupo (Atividades e Plano de Ação) e Encerramento do credenciamento
16 horas – Plenária deliberativa – Conjuntura Nacional e Internacional
19 horas – Encerramento e jantar

Sábado – 6 de junho
8h30 – Trabalho em grupo – Balanço político e organizativo da Central e outras resoluções não contempladas nos dois grupos anteriores)
10h30 – Plenária deliberativa – Atividades e Plano de ação
12h30 – Almoço
14h30 – Reuniões setoriais
16h – Painel e Encerramento do prazo para entrega à Comissão de Relatoria das propostas de moções
17h30 – Painel
19h – Encerramento e jantar

Domingo – 7 de junho
9 horas – Plenária deliberativa: balanço político e organizativo da Central e outros temas
11 horas – Assembleia estatutária
12 horas – Sessão de encerramento
13 horas – Almoço e término do Congresso