4 de maio de 2015

Audiência na Câmara de São José dos Campos, dia 6, debate terceirização


4/5/2015 - O Fórum de Lutas do Vale do Paraíba, formado por sindicatos de várias categorias, realiza nesta quarta-feira, dia 6 de maio, uma audiência pública para debater os ataques representados pelo Projeto de Lei 4330 que libera a terceirização em todas as atividades das empresas. A audiência será realizada na Câmara Municipal de São José dos Campos, a partir das 19 horas, e é aberta a toda a população.

O PL 4330 foi aprovado recentemente na Câmara dos Deputados e agora está em tramitação no Senado. Depois de passar por votação dos senadores, seguirá para sanção ou veto da presidente Dilma.

O objetivo dos sindicatos é fazer um amplo debate com os trabalhadores e a população para a grave ameaça que este projeto representa. A opinião unânime entre todos é que o PL 4330 é um dos maiores ataques à classe trabalhadora dos últimos tempos e, se for aprovado, vai precarizar as condições de trabalho em todo o país, num retrocesso histórico dos direitos.

O projeto tem apoio total dos empresários e muitos parlamentares. Os dois deputados federais da região, Eduardo Cury (PSDB) e Flavinho (PSB) votaram a favor do PL 4330.

Os defensores do projeto, com apoio da Fiesp e da TV Globo, tentam enganar os trabalhadores e a população dizendo que a regulamentação da terceirização vai gerar empregos. Mas, ao contrário, o que o PL 4330 faz é desregulamentar as condições de trabalho no país, precarizando a situação de toda a classe trabalhadora. Vai é aumentar a rotatividade no emprego e reduzir salários e direitos”, afirma o presidente do PSTU de São José dos Campos e suplente de deputado federal, Toninho Ferreira.

Segundo um dos dirigentes da CSP-Conlutas do Vale do Paraíba, Renato Bento Luis, o Renatão, os trabalhadores não podem confiar no Senado ou na presidente Dilma. “A ampla maioria dos deputados e senadores foram eleitos com dinheiro de empresas e agora representam seus interesses. Já a presidente Dilma também está atacando os trabalhadores com o ajuste fiscal, para garantir os lucros de banqueiros e empresários. Portanto, só a nossa mobilização pode barrar o PL 4330 e acabar com a terceirização”, disse.