24 de novembro de 2014

Ato e atividades culturais na periferia marcam Dia da Consciência Negra em São José

24/11/2014 - O Campo dos Alemães, bairro da periferia de São José dos Campos, foi o local escolhido este ano para a realização do ato do Dia da Consciência Negra. Durante toda a tarde do domingo, dia 23, várias atividades marcaram a data, denunciando o racismo e a exploração que atingem negros e negras no Brasil e no mundo.

Foi um ato político e cultural que reuniu ativistas do movimento negro, do hip hop, sindicatos, movimento popular, estudantil e contou com a participação de moradores da região.

Na Área Verde do bairro, onde aconteceu o ato, faixas e falas destacavam a homenagem a Zumbi dos Palmares e denunciavam o racismo.

Grupos de jovens mostraram a diversidade da cultura da periferia e do hip hop, com a arte do grafite e o rap. O grupo de teatro “Quatro na Rua é Oito” foi outra atração do dia, com a apresentação de uma peça que denunciou a violência e a discriminação sofrida pela população negra e pobre.

O ato foi organizado pelo Movimento Quilombo Raça e Classe, CSP-Conlutas, sindicatos e pelo PSTU.

Para Raquel de Paula, do Quilombo Raça e Classe e da Secretaria de Negros e Negras do PSTU, foi uma importante atividade.

Para nós, o 20 de novembro é uma data de luta, que homenageia Zumbi dos Palmares, um herói negro que lutou contra a escravidão, mas mais do que isso, é uma data que nos lembra a necessidade de denunciar e lutar todos os dias contra o racismo e a exploração”, disse Raquel.

Aqui no Campo dos Alemães, onde a população saiu em defesa das famílias do Pinheirinho e foi uma trincheira de resistência na desocupação em 2012, queremos organizar e fortalecer a luta, junto com a população da periferia e a juventude negra”, disse.


Leia também: Somos herdeiros de Zumbi, Dandara, João Cândido e Luiz Mahin! Abaixo o racismo e o capitalismo!