17 de fevereiro de 2017

Ato chamado pelo MBL defende as reformas da Previdência e Trabalhista do governo Temer

17/2/2017  - Constrangidos pelos escândalos de corrupção que não param de sair do ralo do governo Temer, a direção do MBL (Movimento Brasil Livre) está convocando um ato para o dia 26 de março, em São José dos Campos. O evento no facebook descreve: “Voltamos às ruas. Desta vez, pelo fim do estatuto do desarmamento, fim do foro privilegiado, pelo bom andamento da Lava Jato e pelas reformas trabalhista e previdenciária - cortando privilégios e mamatas de políticos e do judiciário”.

Nos últimos meses, a organização, surgida no esteio das manifestações pelo impeachment de Dilma (PT), que se autodenomina “apartidária” e “independente”, praticamente sumiu das ruas. Mesmo diante dos desmandos e nomeações de corruptos notórios pelo governo peemedebista, agiram de forma branda, pra não dizer conivente. Em dezembro chegaram a convocar “atos contra a corrupção” que, contraditória e ironicamente, pouparam o governo Temer, mirando apenas o Congresso.

A convocatória do novo ato demonstra que novamente a suposta luta contra a corrupção é o mote, mas de fundo está a defesa das reformas da Previdência e Trabalhista, duas das principais metas do governo Temer e dos empresários atualmente.

Chegam ao absurdo de escrever que são pelas reformas para “cortar privilégios e mamatas de políticos e do judiciário”, quando na verdade essas reformas são ataques gravíssimos aos direitos dos trabalhadores. Vão acabar com o direito à aposentadoria e precarizar as condições de trabalho no país.

O MBL e o “Vem Pra Rua” são grupos da direita liberal, ligados e financiados pelo governo Temer, PMDB, PSDB, empresas e banqueiros. Dizem ser contra a corrupção, mas só quando se refere ao PT. Quando se trata de seus financiadores fazem vista grossa. O MBL, inclusive, agiu como uma força paramilitar, usando de agressão física em várias cidades do país, para desocupar as escolas ocupadas pelos estudantes no último período.

Os trabalhadores não se devem deixar enganar. A luta contra o corrupto governo Temer e o Congresso Nacional de picaretas precisa se dar juntamente com a luta contra as reformas que atacam brutalmente os direitos dos trabalhadores e da maioria da população pobre.

Precisamos construir um campo da classe trabalhadora, contra a corrupção e pela prisão dos corruptos e corruptores, sejam do PT, PMDB, PSDB, DEM e outros, sem distinção, e para barrar as reformas e o ajuste liberal do governo. As mobilizações que estão sendo convocados pelas centrais sindicais brasileiras e movimentos sociais nos dias 8 de março e 15 de março fortalecem essa luta.

Fora Temer, Fora Todos Eles! Greve Geral para barrar as reformas que atacam os direitos!