25 de novembro de 2016

25N: Centro de São José tem protesto contra reformas do governo Temer

25/11/2016 - Depois de manifestações em fábricas da região, trabalhadores de várias categorias foram às ruas no centro de São José para mais uma mobilização nesta sexta-feira, Dia Nacional de Lutas. Metalúrgicos, trabalhadores dos Correios, servidores municipais, condutores, estudantes, aposentados protestaram contra os ataques do governo Temer e o Congresso.

Com carro de som, faixas e cartazes, os manifestantes falaram à população, denunciando as reformas que o governo prepara, como a Trabalhista, da Previdência e a PEC 55, que vai congelar os investimentos sociais pelos próximos 20 anos. Como não poderia deixar de ser, os escândalos de corrupção que aprofundam cada vez mais a crise política no governo Temer também foram denunciados.

Como esta sexta-feira, dia 25, também é Dia Internacional de Combate à Violência à Mulher, e inclusive por que são as mulheres trabalhadoras, principalmente as negras, que sofrerão com os ataques do governo, o tema foi lembrado nas falas e em cartazes.





O presidente da Admap, associação dos aposentados e pensionistas, Lauro Silva, lembrou o que levou à crise que vários estados vivem no país, com calote aos servidores e serviços públicos falidos. “Eles roubaram, deram isenções às empresas e agora querem que o povo pague a conta. O plano de Temer vai levar o país à mesma situação”, afirmou.

O estudante João Vitor, que participou da ocupação da E.E. Benedito Matarazzo e que foi alvo da desocupação pela polícia esta semana também falou durante a manifestação. “A situação da educação pública hoje é precária e nós que estamos na escola sofremos esse problema. Viemos aqui pedir apoio às ocupações, à luta em defesa da educação. A polícia nos retirou à força e o governo nos quer como fantoches”, disse.

Luiz Carlos Prates, o Mancha, dirigente da Executiva Nacional da CSP-Conlutas, destacou a importância da unidade para enfrentar Temer e o Congresso corrupto. “Eles estão atolados em denúncias e escândalos de corrupção, mas se não impedirmos, vão jogar a crise nas costas dos trabalhadores, com ataques aos direitos, para salvar os lucros de banqueiros e grandes empresas”, disse.  “Neste momento, é hora das centrais sindicais se unirem em defesa dos direitos e preparar uma Greve Geral no país”.

Toninho denunciou a gravidade dos ataques e também defendeu a necessidade das mobilizações aumentarem rumo à uma Greve Geral. “Hoje tivemos um forte dia nacional de manifestações que fortalece a luta por nossos direitos. Mas é preciso avançar e construir uma greve geral que pare todo o país e derrote o governo Temer e suas reformas”, disse. “Os trabalhadores é que vem governar, através de Conselhos Populares”.

Confira vídeos com alguns momentos da manifestação.