6 de maio de 2016

Aumenta luta em Jacareí contra arrocho salarial imposto pelo governo Hamilton (PT)

6/5/2016 - Na quarta-feira, dia 4, a sessão ordinária da Câmara de Jacareí foi paralisada, mais uma vez, pela manifestação dos servidores do funcionalismo municipal. Foi a terceira vez consecutiva que os vereadores tiveram os trabalhos interrompidos por servidores de várias categorias em protesto por reajuste salarial.

Nossa data-base é em março, mas até agora a Prefeitura segue intransigente nas negociações. O prefeito Hamilton Mota (PT) quer impor apenas 5% de reajuste e encaminhou projeto aos vereadores, numa demonstração de total desprezo às negociações com os dois sindicatos da categoria (STPMJ e SindSAAE).

A reivindicação dos trabalhadores é de reajuste de 10,19%, equivalente à inflação do período, bem como contra outros ataques, como o fim do pagamento de insalubridade.  A Prefeitura também reduziu o horário de atendimento em algumas repartições públicas, de 8 para 6 horas, o que provocou o corte do vale-alimentação dos servidores.

Acima de tudo, a luta em Jacareí é contra o sucateamento dos serviços públicos na cidade. A política do governo Hamilton tem sido de descaso e cortes que agravaram a situação do município, onde a saúde é o exemplo mais dramático. Mas não o único. O tratamento de água na cidade, por exemplo, está insuficiente, prejudicando a qualidade da água.

É preciso uma paralisação unificada e geral em Jacareí
A mobilização nas últimas semanas tem impedido a aprovação do projeto do Executivo, e a proposta dos sindicatos é intensificar a luta.

É preciso a construção de uma greve geral, unificada de todos os servidores, pois é a única possibilidade de impormos uma derrota ao prefeito e fazê-lo atender nossas reivindicações. Só com mobilização podemos por fim à política de arrocho salarial e sucateamento dos serviços públicos em Jacareí. A unidade dos trabalhadores e o apoio da população será fundamental.

Por Alexandre Pereira, diretor do Sind. dos Servidores Municipais de Jacareí e militante do PSTU