1 de março de 2016

Deputados custam R$ 1 bilhão por ano aos brasileiros

1/3/2016 - O mesmo Congresso que tem aprovado as medidas do ajuste fiscal do governo Dilma (PT), que ataca os direitos dos trabalhadores, como foi a redução do seguro-desemprego, custa nada menos que R$ 1 bilhão por ano a cada brasileiro.

Além do salário de R$ 33.763, os parlamentares recebem ainda auxílio-moradia de R$ 4.253 ou apartamento de graça para morar, verba de R$ 92 mil para contratar até 25 funcionários, verba de R$ 30.416,80 a R$ 45.240,67 por mês para gastar com alimentação, aluguel de veículo e escritório, divulgação do mandato, entre outras despesas. Dois salários no primeiro e no último mês da legislatura como ajuda de custo, ressarcimento de gastos com médicos.

Esses são os principais benefícios de um deputado federal brasileiro, que somam R$ 168,6 mil por mês. Juntos, os 513 custam, em média, R$ 86 milhões ao contribuinte todo mês. Ou R$ 1 bilhão por ano.

Os dados são de levantamento do Congresso em Foco com base nos valores atualizados dos benefícios dos parlamentares na Câmara (veja a lista abaixo).

No último dia 18, em decisão administrativa, a Mesa Diretora decidiu diminuir os gastos com assinatura de veículos de imprensa, mas, por outro lado, aumentar em R$ 2,3 milhões o valor anual da verba destinada à cota parlamentar – verba pública que deputados usam com gastos como alimentação, combustível e passagens aéreas.

Os valores de ambas as despesas são semelhantes, o que sugere uma escolha na aplicação orçamentária – no ano passado, R$ 1,96 milhão foi consumido com a compra de jornais e revistas.

Como foi uma deliberação interna, a medida não precisa passar pela análise dos 513 deputados.
O aumento na verba de mandato vai custar aos cofres públicos mais R$ 371,86 por mês para cada um dos 513 deputados – que, a depender dos estados que representam, recebem entre R$ 30 mil e R$ 45 mil a título de cota parlamentar.

A decisão foi da Mesa Diretora da Câmara, encabeçada pelo presidente da Casa, o corrupto Eduardo Cunha (PMDB).

Crise é só para os trabalhadores e o povo
Esse levantamento revela a cara de pau da maioria desse Congresso de picaretas que, junto com o governo Dilma (PT) defendem o ajuste fiscal, aumento de impostos e redução de direitos para os trabalhadores e o povo, mas mantém salários exorbitantes e privilégios à custa do dinheiro público.

Isso sem contar os esquemas de corrupção em que muitos estão metidos (outro levantamento do site Congresso em Foco, revelou que até o dia 19 de agosto de 2015, 130 deputados respondiam a inquéritos ou ações penais no Supremo Tribunal Federal).

“É um absurdo que os deputados tenham salários e tantos benefícios, enquanto a esmagadora maioria da população trabalhadora tenha de sobreviver com um salário mínimo ou salários e aposentadorias cada vez mais arrochados”, avalia o presidente do PSTU de São José dos Campos e suplente de deputado federal, Toninho Ferreira.

“O PSTU defende a redução do salário de todos os políticos, que devem receber o mesmo que um trabalhador ou professor, o fim de todos os privilégios, bem como a revogação do mandato a qualquer momento. O deputado que trair os trabalhadores deve ser destituído”, disse.

Toninho lembrou ainda que vereadores do PSTU, como a professora da rede pública em Natal (RN), Amanda Gurgel, e o operário da construção civil de Belém (PA), Cleber Rabelo, eleitos em 2014, continuam a receber salários de professora e operário.

“Amanda e Cleber apresentaram projetos para que o salário de vereadores fosse idêntico ao de uma professora ou de um operário, projetos que foram derrotados nas Câmaras das cidades”, disse Toninho.



Tabela de benefícios dos deputados (até fevereiro de 2016):

Benefício                                                 Média mensal                        Por ano
Salário                                                      R$ 33.763,00                 R$ 438.919,00
Ajuda de custo (1)                                    R$ 1.406,79                   R$ 16.881,50
Cotão (2)                                                  R$ 39.884,31                 R$ 478.611,67
Auxílio-moradia (3)                                 R$ 1.608,34                    R$ 19.300,16
Verba de gabinete até 25 funcionários    R$ 92.000                       R$ 1.104.000,00
Total de um deputado                              R$ 168.662,44                R$ 2.023.949,28
Total dos 513 deputados                          R$ 86.523.831,72           R$ 1.038.285.980,64


Com informações site Congresso em Foco