15 de janeiro de 2016

Dia 22, acontece no Sindicato dos Metalúrgicos o debate "Pinheirinho quatro anos depois"


15/1/2016 - No dia em que completará quatro anos da desocupação do Pinheirinho, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e a CSP-Conlutas realizarão um debate para marcar a data. A atividade acontecerá na próxima sexta-feira, dia 22, às 19h, na sede do Sindicato.

O debate “Pinheirinho: quatro anos depois” vai lembrar a violenta desocupação, mas vai discutir também os reflexos da crise econômica na habitação popular e como deve ser uma cidade voltada aos interesses dos trabalhadores e do povo pobre.

Os debatedores serão o renomado arquiteto urbanista e professor da FGV Kazuo Nakano e a militante do movimento Luta Popular Helena Silvestre. Toninho Ferreira, liderança e advogado das famílias do Pinheirinho e suplente de deputado federal pelo PSTU, será o coordenador da atividade.

“Indiscutivelmente, a ocupação do Pinheirinho foi um marco da luta por moradia no Brasil e até hoje traz reflexos nas lutas sociais e nas questões habitacionais e jurídicas no país”, avalia Toninho.

O urbanista Kazuo Nakano que participará do debate

“Esta semana, por exemplo, simbolicamente, os moradores da ocupação da Vila Soma, em Sumaré, repetiram a cena feita pelos moradores do Pinheirinho em 2012. Na iminência de uma desocupação, que felizmente foi suspensa, os moradores formaram uma tropa para defender suas moradias, portando capacetes, bastões de madeira e empunhando escudos feitos de material reciclado”, disse Toninho.

“Quatro anos depois da reintegração de posse do Pinheirinho, o Estado segue alheio ao direito de moradia, à vida de milhares de pessoas, a maioria mulheres, crianças e idosos. Portanto, a luta em defesa de milhares de sem-teto em todo o país continua”, afirma.

“É preciso não esquecer jamais, para evitar que ações covardes como aquela desocupação não se repitam, mas também precisamos discutir a cidade que queremos. Diante da crise econômica que vivemos atualmente, precisamos debater os problemas que afligem o povo pobre, a falta de moradia, o transporte caro, a alta da carestia e intensificar a mobilização”, disse Toninho.

Exposição de fotos
No debate também será feito o lançamento da exposição “Retratos do Pinheirinho”, com fotos que retratam a realidade da ocupação desde o depois da desocupação. As imagens são da autoria de vários fotógrafos, que estão no arquivo do Sindicato, que deu apoio à ocupação desde o seu surgimento em 2004.