21 de setembro de 2015

Após Marcha na Avenida Paulista, encontro de ativistas define Jornada de Lutas em outubro

21/9/2015 - Após a vitoriosa Marcha Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras, realizada na Avenida Paulista, o Sindicato dos Metroviários de São Paulo sediou, no sábado, dia 19, o Encontro Nacional de Lutadores.

Para discutir a continuidade da mobilização iniciada na sexta-feira, reuniram-se 1.200 pessoas, de 140 entidades sindicais, do campo e da cidade, movimentos populares e de luta contra as opressões, juventude e organizações políticas de esquerda.

O representante da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas, Sebastião Pereira, o Cacau, destacou que o Encontro representava a continuidade da mobilização do dia anterior, com o desafio de apontar os próximos passos da luta.

“Se ontem foi o dia de demonstrar que é possível uma alternativa classista à crise e aos dois blocos de poder, hoje nós temos o desafio de concretizar e materializar essa política”, disse.
 
Várias categorias, como servidores públicos e trabalhadores dos Correios em greve, petroleiros, bancários e metalúrgicos –, estudantes, movimentos de luta contra a opressão, correntes e partidos políticos fizeram exposições sobre a importância da Marcha e da necessidade de continuar e intensificar esta luta.
 
Outubro de Luta
O Encontro definiu como tarefa para o próximo período a realização nos estados de um “Outubro de Luta”, com as mesmas bandeiras políticas da Marcha Nacional do dia 18.

A tarefa é atuar na luta contra as demissões, apoiar as greves que estão em curso e buscar unificar as ações no dia 23 (manifestações dos servidores) e as campanhas salariais, em especial, bancários, petroleiros,  correios, metalúrgicos e químicos, rumo à construção de uma greve geral.

A orientação é que as entidades e movimentos presentes busquem a unificação das greves, paralisações de produção, fechamento de rodovias e ocupações de terras, trabalhando para que, onde seja possível, se organizem grandes manifestações.

A atividade contou com a realização de grupos de debates temáticos, que discutiram as lutas contra as opressões, a mobilização dos servidores públicos federais e a solidariedade aos povos indígenas.

Com informações do site da CSP-Conlutas