24 de outubro de 2014

Conta de luz fica, em média, 20% mais cara no Vale e deve vir mais tarifaço por aí

24/10/2014 - Esta semana, desde o dia 23, as contas de luz ficaram mais caras. Em 19 cidades do Vale do Paraíba atendidas pela EDP Bandeirante foi aplicado um reajuste médio de 21,93%.
Para as residências, consideradas como baixa tensão, a alta será de 20,60% na região. Os grandes consumidores, como as indústrias, terão reajuste de 23,78%.

O reajuste vale para as cidades de Caçapava, Cachoeira Paulista, Canas, Caraguatatuba, Cruzeiro, Guaratinguetá, Jacareí, Jambeiro, Lorena, Monteiro Lobato, Pindamonhangaba, Potim, Roseira, Santa Branca, São José dos Campos, São Sebastião, Taubaté e Tremembé.

É o maior aumento dos últimos dois anos. Em 2013, o aumento foi de 6,85% (baixa tensão) e 4,50% (alta e média tensão). Em 2012, de 6,82% (baixa tensão) e 7,82% (alta e média).

Em outras 27 cidades do Vale do Paraíba e Região Bragantina, atendidas pela concessionária Elektro, o reajuste será ainda mais salgado: 37%.

O reajuste foi muito acima da inflação acumulada nos últimos 12 meses, que é de 6,47%.

Segundo a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) o reajuste maior foi autorizado em razão do encarecimento da energia no país nos últimos meses, provocado pela queda no nível dos reservatórios das principais hidrelétricas, o que levou à compra da energia de termelétricas, que é mais cara.

Em todo o país, o reajuste médio autorizado pela Aneel, afetando 68,7 milhões de unidades, foi de 17,63%. A alta superou a projeção do Banco Central, que estimava um aumento de 16,8% este ano.

Vem mais por aí
Analistas são quase unânimes em alertar que vem mais por aí. A tarifa de água e o preço da gasolina também deverão ter reajustes.

“Energia e gasolina terão o maior peso no aumento dos preços administrados. O da gasolina está defasado, mas não acreditamos em reajuste este ano, por causa da impopularidade da medida. Mas em 2015, nossa previsão é de aumento de 10% nas bombas e 15% nas refinarias”, disse Adriana Molinari, analista de inflação da consultoria Tendências, ao jornal O Globo.

Na estimativa da LCA, a conta de água (outro item administrado) também será um fator de pressão para a inflação em 2015. A consultoria previu um reajuste de 12,3% na conta de água e esgoto, frente a uma queda de 0,96% este ano.

“O programa de descontos na tarifa para quem economizar água, introduzido pela Sabesp, termina em janeiro de 2015. Essa redução foi incorporada no cálculo do IPCA. Para o ano que vem, os reajustes voltam neste item”, disse também em entrevista ao jornal O Globo o economista da LCA Étore Sanchez.

Para atender a ganância por lucros dos acionistas de empresas privatizadas ou que estão em boa parte nas mãos de acionistas privados, como a Petrobras, o governo vai autorizar aumentos que vinham sendo represados em ano eleitoral. A população será penalizada, pois são itens que influenciam nos preços de outros itens e pressionam a inflação. Por isso, alertamos desde já que os trabalhadores precisam se organizar desde já para enfrentar esses e outros ataques que virão”, afirma Toninho Ferreira, presidente do PSTU de São José dos Campos e 1° suplente de deputado federal.