25 de agosto de 2014

Justiça nega direito de resposta a Alckmin em ação contra PSTU


25/8/2014 - O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo negou ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) o direito de resposta no programa de TV e rádio do PSTU. A decisão foi tomada pelo desembargador Carlos Eduardo Cauduro Padin neste domingo, dia 24.

A coligação do PSDB pediu direito de resposta em programa eleitoral do PSTU à afirmação de que Alckmin odeia os pobres, feita pelo candidato a Deputado Federal, Toninho Ferreira, em programa exibido no dia 21.

"Na desocupação do Pinheirinho, Alckmin demonstrou que odeia os pobres",  afirmou Toninho, referindo-se à reintegração de posse do terreno em São José dos Campos que resultou na remoção violenta de 1.840 famílias pela Tropa de Choque da Polícia Militar, em 2012.

Em um dos trechos da decisão, o desembargador afirma: “a referida frase revela opinião manifestada pelo candidato-representado, opinião que se refere a crítica às opções de gestão do governo do Estado de São Paulo, do qual é o chefe, o ora representante Alckmin, cujas opções não teria dado a devida atenção por meio de políticas públicas e de escolhas benéficas à camada menos favorecida da população.”

Para o juiz, “com essa postura, evidentemente, não se trata de fato sabidamente inverídico; não se trata porque se refere a opinião manifestada diante da conduta política do Governador do Estado”.

“Entendemos que a decisão da justiça é uma vitória. Nossa campanha eleitoral não tem financiamento de empresas e temos pouquíssimo tempo de TV. Alckmin, pelo contrário, tem muito dinheiro de empresários e tempo de TV e não vai nos calar. Vamos seguir na luta e na defesa dos trabalhadores e da população pobre. Inclusive, voltaremos a falar do Pinheirinho”, afirma Toninho.