1 de abril de 2014

Artigo: Copa para quem?

1/4/2014 - Qual é o problema, afinal, do Brasil sediar a Copa do Mundo? Nós não somos o país do futebol, o berço de nomes inesquecíveis, das lendas do esporte, o lugar onde a garotada já nasce correndo atrás da bola? Sim, nós somos. E não há nenhum problema nisso.

Amar o futebol e as alegrias que ele nos dá é natural. Porém, aceitar e apoiar, em nome de uma festa, os abusos que vêm sendo cometidos, não tem nada de natural. É preciso dizer que, se você mora em um condomínio, não precisa usar o transporte coletivo e está com seu plano de saúde em dia, talvez você enxergue com bons olhos a vinda da Copa pra cá. Até porque, ela está sendo feita especialmente pra pessoas como você. O problema é que o seu dinheiro, ou o do seu pai, não foi suficiente pra pagar as obras “padrão FIFA”.

Os 28 bilhões de reais (1) saíram do bolso de quem se vê muito prejudicado em pagar altos impostos ao governo e que jamais trocaria todas as melhorias que esse dinheiro poderia trazer em sua vida em nome de um evento que, pra maioria, será um acontecimento virtual.

Gostar de futebol não é problema. O problema é que não temos sequer um sistema de saúde digno, sequer podemos voltar pra casa do trabalho com dignidade, sem sermos humilhados nos ônibus e metrôs que estão cada dia mais lotados.

Ah, mas há também todas as obras de infraestrutura, o grande legado da Copa propagandeado pelo governo, certo? Errado.

Enquanto os custos das arenas aumentam dia após dia, os investimentos em infraestrutura sofrem cortes vergonhosos. Das 55 obras de mobilidade urbana, 19 não ficarão prontas até junho, duas obras em aeroportos e uma reforma portuária também foram retiradas da matriz da Copa.

Contudo, os benefícios que incluem juros mínimos em financiamentos do BNDES e parcelas infinitas continuarão valendo (2). 34,5% das obras de infraestrutura da Copa ficarão prontas sabe-se Deus quando. De toda fortuna gasta, só 0,06% será paga pela iniciativa privada e o restante, pelos cofres públicos. Por nós!(3).

Um dos escândalos mais visíveis com o dinheiro público sendo entregue ao setor privado é o caso da reforma do Maracanã, que custou R$ 1,3 bilhão (4) para depois ser vendido ao grupo de Eike Batista pela pechincha de R$ 181,5 milhões(5). Isso sem falar das inúmeras remoções de comunidades inteiras e de toda a repressão/criminalização que os movimentos sociais vêm sofrendo.

Serão 32 bilhões de reais (valor que tende a aumentar) gastos para fazer uma festa no país onde não se precisa ir muito longe pra ver o caos no transporte, a saúde pública esquecida e escolas e universidades sucateadas. Tudo em nome de quem, senão da especulação imobiliária, dos intocáveis patrocinadores, da Fifa (que já anuncia seu lucro recorde nessa Copa) e de seus “agentes” em cargos públicos?!

É uma pena que, no esporte em que somos especialistas, o Brasil já entre em campo derrotado.


Por Danilo Zanelato, da Juventude do PSTU de São José dos Campos
Publicado originalmente em seu facebook




1 http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/06/130626_copa_gastos_ru.shtml

2 http://copadomundo.uol.com.br/noticias/redacao/2013/12/02/governo-desiste-de-22-obras-da-copa-e-reduz-investimento-em-r-61-bilhoes.htm

3 http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/copa-das-copas-dara-lucro-recorde-para-a-fifa/

4 http://copadomundo.uol.com.br/noticias/redacao/2013/07/22/maracana-tem-novo-reajuste-de-r-60-milhoes-e-ja-custa-r-125-bilhao.htm

5 http://www.jb.com.br/esportes/noticias/2013/04/29/consorcio-de-eike-batista-vence-licitacao-do-maracana/