27 de fevereiro de 2014

Sexta-feira tem grito de Carnaval com o bloco Acorda Peão

27/2/2014 - A juventude da Anel e do PSTU e o Movimento Quilombo Raça e Classe realizam na próxima sexta-feira, dia 28, mais uma edição da confraternização “Batuque Vermelho”, com um grito de Carnaval com o Bloco Acorda Peão. A festa vai rolar às 19h, no Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos. A entrada é gratuita e a diversão é garantida.

O Acorda Peão é o bloco do trabalhador, da juventude, dos movimentos sociais e que também sempre representou a luta contra as opressões. Fazemos um convite a todos para participar”, falou Raquel de Paula, do Quilombo Raça e Classe.

Vai rolar muito samba, irreverência e alegria, características do bloco promovido pelo Sindicato e pela CSP-Conlutas. O bloco vai dar uma canja do samba-enredo deste ano “O gigante acordou”.

O bloco é de rua e a alegria é garantida. Vamos esquentar as baterias com esse esquenta. É só colar e trazer alegria”, também convidou Edgar Fogaça, da Juventude do PSTU.

Um pouco sobre o Acorda Peão
Já são 16 anos desde que o Acorda Peão saiu pela primeira vez. Criado para ser um bloco de protesto, sem perder a alegria típica do Carnaval, o Acorda Peão já se tornou tradicional, sendo o principal bloco alternativo da cidade. Desfila pelas ruas do centro da cidade na manhã do sábado de Carnaval.

É formado por trabalhadores, jovens, aposentados, dirigentes sindicais, ativistas dos movimentos sociais - homens, mulheres e crianças da classe trabalhadora. Em 2013, cerca de 300 pessoas desfilaram com o bloco.

Ao longo de sua existência, os principais acontecimentos que marcaram o país e o mundo foram levados para a avenida com humor crítico e muita folia pelo Acorda Peão.

A queda das Torres Gêmeas, os anos do governo Lula, a desocupação do Pinheirinho, a crise econômica mundial, a corrupção, a eleição de Obama, a violência policial e muitos outros fatos já foram alvo da letra crítica do bloco.

Muitos ainda se lembram do início do samba de 2002: “Se Bin Laden é terrorista /Tio Sam é o criador / Mata, destrói o mundo inteiro / Causando o maior terror (...)” e do refrão: “Ô, Alá... Ô, Alá! /Terror capitalista não dá mais para aguentar (...)”.

Ou do samba de 2009, que tratava da eleição de Obama: “A autoestima no negro explodiu/O mundo inteiro aplaudiu/Efeito Barack Obama/Capitão do mato vai deixar você na lama (..)”.

Este ano, como não podia deixar de ser, o tema é um dos principais acontecimentos do ano passado que mudou a situação no país: Eu vou fazer barulho pro gigante acordar/Junho e julho quero ver continuar/Acorda Peão pra traidor não tem ajuda/Deixou meu bloco, foi dançar na Papuda(...).

Mais uma vez, o bloco promete agitar a avenida, com criatividade, crítica e muita folia.

Ainda bem. Em contraposição ao Carnaval oficial, cada vez mais apropriado pelas leis do capital, um outro Carnaval resiste, como o do Acorda Peão. Sem fantasias caras, mas irreverente e espontâneo.
No sábado, a concentração será às 9h, no terreno do Sindicato, que fica na rua Francisco Paes, 316, no Centro.

Confira a letra deste ano:

https://soundcloud.com/sindmetal-sjc/acorda-pe-o-2014-o-gigante

Bloco Acorda Peão 
Samba-enredo 2014: “O gigante acordou”
autor: Renatão

O gigante acordou, junho é festa, fez a quadrilha dançar
O efeito da dança da multidão
Baixou a passagem de ônibus e recuou a inflação
E o Metrô que era para a população...
virou caixinha, explode a corrupção!

Nossa, acaba com essa pressão. 
Mais médicos para o povo e vai prendendo o Mensalão!
Papa Francisco reza e pede ajuda, 
Se não toda autoridade vai acabar na Papuda!

Mas lá vem Copa do Mundo, 
Esse gigante tem que ter sono profundo
Eu sou governo, não quero acordar. Lei 12.850 eu vou aplicar!
Ai que mico: sitiou o Leilão de Libra, fez lembrar o AI-5 (BIS)

Em São José, o povo não vai esquecer...
No Carnaval, o samba não pode morrer!
Acorda Peão vai juntar gente bamba
Senão, acaba toda escola de samba.

Eu vou fazer barulho pro gigante acordar
“Junho e julho” quero ver continuar
Acorda Peão pra traidor não tem ajuda
Deixou meu bloco, foi dançar na Papuda

Oôô, venha pra rua que o gigante acordou
Oôô, venha pra rua que o gigante levantou