15 de outubro de 2013

É preciso barrar o leilão do Campo de Libra, marcado para o próximo dia 21!

15/10/2013 - Mesmo após ter vindo à tona que a presidente Dilma, o Ministério de Minas e Energia e a Petrobras foram alvo da espionagem dos Estados Unidos, o Governo Federal mantém marcado para o próximo dia 21 de outubro o leilão do Campo de Libra, a maior reserva de petróleo do pré-sal do mundo, localizado em Santos/SP.

Este leilão significa a privatização do petróleo brasileiro e se acontecer será um dos maiores ataques à soberania e às riquezas do país.

O petróleo é nosso!
O campo de Libra é a maior descoberta de petróleo no Brasil. Estima-se que no local existem cerca de 15 bilhões de barris de petróleo, o equivalente a R$ 3 trilhões.

Contudo, a presidente Dilma pretende leiloar a área por apenas R$ 15 bilhões! É como se o barril do petróleo, que custa atualmente mais de US$ 100, fosse vendido a R$ 1!

As multinacionais não quiseram investir em pesquisas no fundo do mar na década de 70 e agora querem por a mão no petróleo do pré-sal descoberto pela Petrobras.

O governo diz que vai utilizar o dinheiro dos royalties do petróleo para investir na educação. Mas isso é uma enganação. Os royalties são muito menos que o necessário para investir em educação (0,6% do PIB,
quando precisamos de 10%). Por que ter uma pequena parte dos lucros se o petróleo é nosso?

Além disso, os royalties do petróleo têm sido destinados para o pagamento da Dívida Pública, em violação às leis que destinam tais recursos para áreas como meio ambiente e ciência e tecnologia.

Em 2008, por exemplo, um estoque de R$ 20 bilhões dos royalties (pertencentes à União) foram indevidamente destinados à amortização da dívida, em operação que chegou a ser considerada irregular pelo Tribunal de Contas da União.

Os R$ 15 bilhões previstos como bônus pela entrega do petróleo do Campo de Libra serão revertidos pelo governo diretamente para o pagamento da Dívida Pública do país, que nada mais é do que a injeção de mais dinheiro aos bancos e especuladores financeiros internacionais.

Fernando Pimentel, Ministro do Desenvolvimento de Dilma, deu uma declaração durante um evento em Nova York para investidores que é simbólica. "O governo colocou em oferta pública o maior pacote de concessões na história do Brasil. Nem no tempo do Império, da Colônia, houve uma oferta tão grande. Então o objetivo nosso aqui é mostrar isso ao investidor americano, às grandes empresas, aos grandes bancos e fundos", explicou o ministro.

Em outras palavras, o governo do PT vai entregar a maior riqueza do país a preço de banana para multinacionais estrangeiras.

Privatização, não!
Dilma fez sua campanha eleitoral em 2010 criticando as privatizações do PSDB. Afirmou que não permitiria a entrega do patrimônio nacional e a privatização da Petrobras. Mas, na prática, o PT tem feito o oposto.

A presidente também se disse indignada com a revelação de que ela, a Petrobras e o Ministério de Minas e Energia foram alvos da espionagem dos Estados Unidos.  Mas, na prática, a postura do governo não passou de discurso!

É público que um dos principais objetivos da espionagem dos Estados Unidos é o pré-sal brasileiro. Este leilão é um jogo de cartas marcadas.

Se a presidente Dilma, de fato, quer dar uma resposta aos EUA, precisa suspender este leilão fraudulento.

É preciso impedir a entrega do Campo de Libra!
Movimentos sociais e estudantis de todo o país organizam uma semana de mobilização para impedir que este leilão aconteça. No dia 17, trabalhadores petroleiros, que também estão em Campanha Salarial, prometem iniciar uma greve nacional unificada e protestos acontecerão em vários locais do país.

No dia 21, onde ocorrer o leilão, haverá uma grande manifestação para impedir esta tentativa de privatização do petróleo brasileiro. O PSTU está nessa luta junto com todos os sindicatos, movimentos sociais e estudantis, em defesa da soberania e das riquezas do país!