1 de outubro de 2013

Casas às famílias do Pinheirinho terão 46,5 metros quadrados

01/10/2013 - A construção das casas às famílias do Pinheirinho foi tema de uma nova reunião nesta segunda-feira, dia 30. No encontro a principal questão discutida foi o tamanho das moradias e foi definido que cada casa terá 46,5 metros quadrados de área construída.

Participaram da reunião representantes da ADMDS (Associação Democrática por Moradia e Direitos Sociais), que reúne as famílias do Pinheirinho, dos governos federal, estadual e municipal. O prefeito Carlinhos de Almeida (PT) também esteve presente.

O tamanho definido é superior ao modelo padrão do programa Minha Casa, Minha Vida, que é de 43 metros quadrados.

"Reivindicamos inicialmente casas com 50 metros quadrados de construção mais o muro. Mas na reunião de hoje chegou-se a uma proposta de 46,5 metros sem a construção de muros, sob a alegação de que este é o tamanho que se adequa ao valor por unidade pago pelo programa. No entanto, em nossa avaliação, era possível garantir os muros. Vamos levar as discussões para a assembleia com os moradores", afirma Vivaldo Moreira, da ADMDS.

"Estamos discutindo com os governos todos os detalhes do projeto de construção das casas e o tamanho das moradias era importante, afinal, trata-se de garantir as famílias que foram violentamente retiradas de suas casas, moradia digna conforme prometeram os governos", afirmou.

As famílias do Pinheirinho também apresentaram aos governos uma série de reivindicações, em reunião no último dia 20 de setembro, para que o conjunto habitacional que será construído no bairro Putim 2 tenha infraestrutura, serviços públicos e condições adequadas de moradia.

A ADMDS espera uma reunião com o governo estadual para discutir a instalação de escolas do ensino médio e profissionalizante na região.