9 de setembro de 2013

Todas ao 1° Encontro do Movimento Mulheres em Luta

09/09/2013 - Discutir os principais problemas que afetam as mulheres trabalhadoras e avançar na organização para lutar pelos seus direitos é o objetivo do 1° Encontro do Movimento Mulheres em Luta (MML), que será realizado no próximo domingo, dia 15, em São José dos Campos.

O encontro, que acontecerá das 9h às 17h, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos, pretende reunir mulheres trabalhadoras, estudantes, aposentadas e desempregadas.

Segundo Janaína dos Reis, do MML do Vale do Paraíba, a abertura de um novo momento de lutas no país teve a presença destacada das mulheres à frente das mobilizações. E não é sem motivo. 

As mulheres são mais da metade da população brasileira e o setor mais afetado pela violência, serviços públicos sucateados, aumento no custo de vida e a violência. Por isso, precisamos nos organizar para discutir os principais problemas que nos afetam e exigir nossos direitos”, disse.

Dez anos de governo do PT e situação das mulheres
O 1° Encontro Regional do MML irá discutir temas como a violência doméstica, assédios moral e sexual, saúde da mulher e políticas públicas, como creches e os programas do governo.

Com Lula e Dilma, apesar das políticas específicas às mulheres propagandeadas pelo governo do PT, na prática, as trabalhadoras seguem sendo vítimas da desigualdade, do machismo e da falta de políticas públicas concretas.

Promessas de campanha, como a construção de 6 mil creches, não saíram do papel e, no Brasil, 8 em cada 10 crianças não tem acesso à educação infantil e muitas mulheres não podem trabalhar porque não têm onde deixar os filhos.

O Estatuto do Nascituro, em tramitação no Congresso Nacional, é um brutal ataque às mulheres, banalizando a violência e criminalizando a mulher vítima do estupro. Entre várias medidas que vão contra o Código Penal, o Estatuto propõe uma pensão alimentícia equivalente a um salário mínimo, a ser paga até os 18 anos do filho/a fruto do estupro. Essa pensão deverá ser paga pelo estuprador (o pai da criança), e caso não seja identificado, deverá ser paga pelo Estado. É a “bolsa estupro”! Um absurdo!

Queremos reunir o maior número de mulheres para discutir questões específicas que nos afetam nos dias de hoje e nos organizar para fortalecer a luta por nossas reivindicações”, afirma Janaína.

O encontro regional do próximo domingo será também uma preparação para o Encontro Nacional do MML, que acontecerá nos dias 4, 5 e 6 de outubro, em Sarzedo/MG.


Programação do 1° Encontro Regional do MML
Manhã: Conjuntura: a explosão das lutas e a participação das mulheres
             Políticas públicas específicas para as mulheres

Tarde:   Violências: doméstica, no trabalho, na saúde da mulher e o Estatuto do Nascituro