16 de setembro de 2013

Encontro Regional do MML reúne mais de 100 mulheres

16/09/2013 - No domingo ensolarado deste dia 15 de setembro, o salão de assembleias do Sindicato dos Metalúrgicos ficou cheio com cerca de 100 mulheres que participaram do 1° Encontro Regional do Movimento Mulheres em Luta.


Foi um grande encontro. Trabalhadoras de várias categorias, como metalúrgicas, professoras, funcionárias dos Correios, assistentes sociais, entre outras, além de estudantes e aposentadas passaram o dia discutindo os problemas que afetam as mulheres, seus direitos e formas de organização para conquistar suas reivindicações.

O encontro teve início com uma palestra da petroleira de Campinas e integrante do MML Laura Leal. Ela falou das manifestações que estão ocorrendo em todo o mundo e destacou o papel das mulheres nesses processos.

Laura falou ainda das políticas do governo Dilma e das ilusões do chamado “empoderamento das mulheres”, por meio dos cargos de chefia e de poder, supostas garantias de igualdade e tomada de decisões.

“Muitos veem hoje mulheres em cargos importantes, como na presidência de países e órgãos internacionais como o FMI e acham que a opressão acabou ou está reduzindo. Mas esses casos são exceção e tem um caráter claro de classe. O capitalismo precisa do machismo e os governos aplicam políticas que, na prática, reforçam a opressão e exploração da mulher trabalhadora”, falou Laura.

Ainda segundo Laura, o governo anuncia programas sociais, mas não garante investimentos e reais condições de atendimento às mulheres. A construção de creches, por exemplo, foram prometidas 6 mil unidades, mas após mais de um ano e meio de mandato, apenas 600 foram, de fato, construídas.

Debates em grupo
À tarde, as participantes do encontro se dividiram em grupos para discutir temas específicos. Foram debatidos temas como a violência doméstica, assédios moral e sexual, saúde da mulher e políticas públicas, como creches e programas específicos do governo para as mulheres.

Nas falas das companheiras, os exemplos de como o machismo e a opressão ainda existem no dia-a-dia das mulheres e como o capitalismo se aproveita desta situação para explorar ainda mais as trabalhadoras. O caso da trabalhadora da Embraer Telma Cristina, vítima de assédio moral e racismo, foi um exemplo.

Mulheres elegem direção regional
Ao final dos debates e relatórios dos grupos, foram aprovadas as resoluções do encontro e eleita a direção regional do MML.

“Realizamos um encontro extremamente vitorioso e demos um importante passo para consolidar nossa organização e nossas lutas. Agora é preparar para o Encontro Nacional do MML que acontecerá em Sarzedo, Minas Gerais, nos dias 5 e 6 de outubro”, afirmou Janaína dos Reis.

O 1° Encontro Regional do MML encerrou com a inscrição de 80 companheiras para o Encontro Nacional, demonstrando que o Vale do Paraíba também terá uma delegação representativa em Sarzedo.

As trabalhadoras aprovaram uma campanha financeira que vai ser feita nas fábricas, locais de trabalho e escolas para garantir os custos da ida da delegação para o encontro nacional.