24 de janeiro de 2014

“Unidos, jamais vencidos”: dia 1°, ato relembrará 50 anos do início da ditadura e homenageará vítimas

24/01/2014 - Em 2014, completam-se 50 anos do golpe que deu início a um dos períodos mais repressivos e vergonhosos da história do país: a ditadura militar. A data deverá ser lembrada em várias atividades ao longo do ano.

É assim que no próximo dia 1° de fevereiro, a CSP-Conlutas, em conjunto com as demais centrais sindicais, realizará o ato “Unidos, Jamais Vencidos”. A atividade será realizada em São Bernardo do Campo, das 13h às 17h, no Teatro Cacilda Becker, no centro da cidade, onde serão homenageados trabalhadores e sindicalistas que sofreram perseguição e repressão.

A atividade é uma iniciativa do Grupo de Trabalho ‘Ditadura e Repressão aos Trabalhadores e ao Movimento Sindical’, da Comissão Nacional da Verdade, do qual a CSP-Conlutas faz parte.

Esse GT tem colhido informações, documentos e levantado testemunhos buscando resgatar a memória e reivindicar justiça e reparação pela repressão nos anos do regime militar.

Durante os 21 anos de ditadura, trabalhadores e o movimento sindical foram alvos da perseguição do governo e empresas. Sindicatos sofreram intervenções e trabalhadores foram perseguidos, ameaçados, presos, torturados e, inclusive, assassinados.

Segundo Luiz Carlos Prates, o Mancha, dirigente da CSP-Conlutas e integrante do GT sindical da Comissão Nacional da Verdade, o ato tem o objetivo de homenagear quem lutou pela liberdade, democracia, autonomia sindical e melhores condições de trabalho durante os chamados “anos de chumbo”.

Na atividade, trabalhadores perseguidos ou suas famílias receberão um diploma de reconhecimento por sua luta, assinado por todas as Centrais Sindicais.

Para o presidente municipal do PSTU de São José dos Campos, Toninho Ferreira, a realização deste ato unitário é fundamental. “Principalmente, num momento em que os governos revivem a repressão e até mesmo mecanismos e leis da época da ditadura contra os movimentos sociais, é imprescindível lembrar, para não esquecer e nunca mais acontecer”, disse.

O Teatro Cacilda Becker fica na Praça Samuel Sabattini, nº 50, Paço Municipal de São Bernardo do Campo.

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos disponibilizará ônibus para participar do ato. Informações devem ser obtidas pelo telefone 3946-5308.