6 de março de 2014

Todo apoio à greve dos garis do Rio de Janeiro

6/3/2014 - A greve dos trabalhadores de limpeza urbana do Rio de Janeiro entrou no sexto dia nesta quinta-feira, dia 6, e apesar da repressão e perseguição dos governos Eduardo Paes (PMDB) e da PM do governador Sérgio Cabral (PMDB), ganha cada vez mais força e apoio popular.

A paralisação, que estourou em pleno Carnaval carioca, trouxe à tona a dura realidade desses trabalhadores e o descaso do prefeito Eduardo Paes com um serviço público essencial.

Os garis trabalham em péssimas condições e recebem salários de pouco mais do salário mínimo (R$ 803), sem receber direitos básicos, como o pagamento de horas extras, como denunciam lideranças da mobilização.

A categoria reivindica reajuste salarial para R$ 1.200, aumento no valor do tíquete alimentação diário de R$ 12 para R$ 20 e o pagamento de horas-extras para quem trabalhar nos domingos e feriados, como previsto em lei. Além disso, os trabalhadores pedem o retorno do pagamento do triênio, do quinquênio e melhoria das condições de trabalho.

Após a forte repressão da Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana), que demitiu cerca de 300 trabalhadores por meio de mensagens de celular, os garis exigem o cancelamento das demissões, que ferem frontalmente o direito constitucional de greve.

A categoria denuncia que, além da repressão e das demissões, os poucos garis que estão trabalhando estão sob vigília permanente da PM e segurança privada, numa clara postura de intimidação.

Mexeu com os garis, mexeu comigo
Apesar da repressão e da tentativa de criminalização por parte da Prefeitura do PSDB contra os trabalhadores e das próprias consequências em razão da falta de coleta do lixo, a mobilização recebeu o apoio da população e dos turistas que lotaram a cidade em pleno Carnaval.

“Fora Cabral, ditador”, “Vá com Paes” e “Fora a PM” foram palavras de ordem entoadas nos blocos carnavalescos cariocas por milhares de pessoas.

A luta desses garis por direitos e contra o autoritarismo da Prefeitura passou por cima até mesmo do sindicato pelego da categoria, que depois de trair a mobilização passou a atacar os trabalhadores.

A greve já tem repercussão internacional e está sendo um exemplo de luta e determinação aos trabalhadores de todo o país.

Em pleno carnaval carioca, a paralisação mostrou a situação desses trabalhadores que durante o ano inteiro são invisíveis pra sociedade, mas prestam um serviço essencial em uma sociedade de consumo que produz toneladas de lixo.

Parabéns aos garis! Todo apoio e solidariedade à greve dos companheiros(as)!