8 de janeiro de 2015

Repudiamos o atentado contra o jornal Charlie Hebdo

8/1/2015 - O atentado terrorista contra o jornal Charlie Hebdo ocorrido em Paris é um golpe contra a imprensa critica, mas também contra a luta dos trabalhadores e, em particular, do povo islâmico.

Muitas vezes vemos como atentados terroristas servem aos interesses imperialistas.

O ataque da Al Qaeda às Torres Gêmeas em 2001 facilitou toda a ofensiva belicista de Bush com a invasão do Iraque e Afeganistão. Um ataque violento contra o movimento de massas em todo o mundo  foi realizado em nome da “guerra ao terrorismo”.

Esse atentado de hoje tem um conteúdo semelhante. Vai fortalecer a ultradireita francesa e europeia. Vai facilitar respostas repressivas que já estavam em curso em toda Europa contra os imigrantes, assim como no Oriente Médio e Norte da África.

No momento em que escrevemos essa nota nenhum grupo ainda assumiu a autoria dessa barbaridade. Mas nós sabemos quem pagará essa conta: o conjunto do movimento de massas, a começar por sua parcela mais explorada e oprimida, os trabalhadores imigrantes.

Defendemos a liberdade de imprensa e de crítica. O jornal Charlie Hebdo reunia alguns dos cartunistas  de maior expressão e tradição internacional como George Wolinski, também morto nesse ataque.

Esse  atentado teve enorme repercussão entre os cartunistas que se dedicam a crítica política em todo o mundo. Esse atentado não é em defesa de uma causa justa com uma metodologia equivocada. É uma expressão dos que defendem um autoritarismo semifascista, com uma metodologia desastrosa.

Isso não nos faz ter acordo com todas as posições do jornal. Temos respeito pelos que acreditam no islamismo, assim como pelos católicos ou protestantes.  Mas as possíveis discordâncias com uma ou outra posição ou charge do jornal não nos impede de repudiar veementemente esse atentado, que só fortalece a ultradireita islamofóbica.

Chamamos todas as organizações dos trabalhadores e de esquerda a repudiar esse atentado. Não podemos deixar que sejam a direita e o imperialismo que assumam essa postura. Repudiemos esse atentado e nos preparemos para resistir aos ataques políticos que virão.

Para terminar, queremos nos solidarizar com os jornalistas atacados, seus familiares e amigos.


Direção Nacional do PSTU