5 de junho de 2014

PSTU 20 anos: um partido diferente, revolucionário, socialista e democrático

5/6/2014 - Nosso partido foi fundado em 5 de junho de 1994, unificando diferentes organizações, grupos e ativistas independentes. A maioria dos que fundaram o PSTU veio de uma ruptura da corrente Convergência Socialista (CS) com o Partido dos Trabalhadores (PT). A CS considerava que esse partido não era mais uma alternativa estratégica para a construção de uma direção revolucionária no Brasil.

A fundação do PSTU foi um exemplo de unificação de setores revolucionários, quando existiam – e ainda existem – tantas rupturas na esquerda. Durante dois anos, foram discutidos o programa e os estatutos do novo partido. Quando se chegou a uma proposta comum, aconteceu o congresso de unificação.

Hoje, o PSTU é uma alternativa revolucionária e socialista implantada em setores fundamentais dos movimentos sindical e estudantil, no momento em que o reformismo começa a viver uma crise. Mas, para manter vivo o programa socialista, tivemos de romper com o PT. Depois da eleição de Lula, em 2002, saímos da CUT para construir a Conlutas (que depois se transformou na CSP-Conlutas) para, assim, afirmar um novo polo independente e de luta para o conjunto dos trabalhadores do país.

Durante mais de duas décadas, milhões de pessoas esperaram para eleger Lula presidente para mudar o país. Em todos esses anos, o PT foi o partido majoritário da esquerda brasileira e educou toda uma geração de trabalhadores e jovens com a estratégia de acabar com o desemprego, distribuir a renda, fazer a reforma agrária e acabar com a corrupção.

Mas o partido achava que seria possível realizar essas tarefas preservando a ordem capitalista, bastando eleger Lula presidente. As consequências deste projeto estão aí para todos verem. O PT abandonou qualquer compromisso com a luta da classe trabalhadora ao deixar de lado as bandeiras de transformações na estrutura socioeconômica do país, como a ruptura com o FMI.

Os governos de Lula e Dilma não só mantiveram o projeto neoliberal no país como o aprofundaram.

Os ativistas de todo o país devem discutir um novo projeto, uma nova alternativa, agora revolucionária.

Ao comemorar os 20 anos de sua existência, o PSTU chama esta nova geração de lutadores a vir construir conosco essa ferramenta essencial para que a classe operária faça a revolução socialista mundial.

Conheça nossa história: acesse o 
Blog Especial dos 20 anos do PSTU