14 de novembro de 2013

Frente a possível despejo, Ocupação William Rosa organiza rede de resistência

14/11/2013 - Sem conseguir chegar a um acordo depois da reunião no último dia 7 com representantes da Ceasa, da prefeitura de Contagem e da Polícia Militar, os moradores da Ocupação William Rosa intensificaram o alerta para resistir a um possível despejo.

Os moradores da ocupação iniciaram a construção de um cadastro de apoiadores, a fim de evitar invasão surpresa novamente, como ocorrida na noite do dia 1° de novembro, quando a PM atacou a ocupação com bombas, tiros de balas de borracha e as barracas foram incendiadas.

Na reunião, não houve nenhuma proposta de negociação do terreno ou abertura de diálogo com as famílias, com o objetivo de encaminhá-las para outro local. O encontro foi apenas uma tentativa da PM de agenciar uma reintegração de posse sem conflitos.

As famílias de William Rosa estão dispostas a abrir mão do terreno caso sejam incluídas em programas de moradias, mas sem uma proposta do poder público, o posicionamento dos moradores é o de continuar ocupando e resistindo a qualquer investida da polícia.

Segundo Lacerda, uma das lideranças da Ocupação e militante do movimento Luta Popular, os moradores estão abertos ao diálogo. “Ninguém quer conflito, mas não podemos simplesmente deixar o terreno sem uma saída digna pra situação, aceitamos bolsa-moradia ou alguma outra resposta do estado”, disse.

Uma reunião com o governo estadual está agendada para a semana que vem. A polícia promete não agir antes de uma resposta oficial do governo.

Apesar da promessa da PM, os moradores já se preparam para uma possível tentativa de despejo. Por isso, criaram uma campanha de solidariedade que já possui mais de 500 contatos cadastrados. O sistema é realizado via SMS e, a partir de qualquer movimentação policial que indique um possível despejo, mensagens serão disparadas aos números de celulares cadastrados para que assim os apoiadores ajudem na resistência e no registro das ações violentas e criminosas da polícia.

O cadastro de contato é realizado via Facebook. Basta enviar uma mensagem “inbox” no perfil da Ocupação William Rosa.

Participe desta campanha e compartilhe entre os seus contatos!

















Fonte: www.cspconlutas.org.br