20 de dezembro de 2013

Em 2013, tomamos as ruas. Em 2014, vamos voltar!

20/12/2013 - Foi um ano e tanto! 2013 ficará marcado pelas gigantescas manifestações que tomaram as ruas do Brasil.

Desde junho, o país não é mais o mesmo. Após anos de calmaria, uma verdadeira explosão social tomou as ruas. Pessoas que nunca antes participaram da vida política fizeram passeatas, enfrentaram a repressão da polícia. A juventude esteve à frente de mobilizações e foi seguida pelos trabalhadores que também fizerem greves, se manifestaram.

O aumento das tarifas de ônibus foi o estopim das lutas, mas depois as reivindicações se ampliaram. Explodiu uma verdadeira revolta contra o caos na saúde, educação e nos serviços públicos, enquanto o dinheiro público escorria pelo ralo da corrupção e nas grandes obras da Copa do Mundo.

O povo não aguenta mais ver governos aplicarem políticas que favorecem os mais ricos e as grandes empresas, enquanto falta moradia, hospitais, escolas e transporte. "Da Copa eu abro mão, quero dinheiro para saúde e educação" foi uma das principais palavras de ordem dos manifestantes.

As lutas conseguiram importantes vitórias, como a redução das tarifas de ônibus e a derrubada da PEC 37, mas por outro lado, os governantes e políticos não aprenderam a lição. Num primeiro momento ficaram assustados, mas continuam com a mesma política econômica, a mesma corrupção.

O pior é que agora fazem um brutal ataque, com o aumento da repressão policial e criminalização de manifestantes e movimentos sociais, usando inquéritos criminais fraudulentos e leis da época da ditadura militar. Querem impedir a todo custo a repetição dos protestos durante a Copa do Mundo de 2014.

Mas não vai adiantar! A CSP-Conlutas e outras entidades sindicais, do movimento popular, contra as opressões e estudantil de todo o país já organizam encontros para preparar as lutas do ano que vem.

Vamos cobrar do governo Dilma, governos estaduais e municipais, sejam eles do PT, PSDB ou PMDB, o atendimento das reivindicações e a mudança na política econômica a favor dos trabalhadores e da maioria da população.

Em 2014, além da Copa do Mundo, também se completam 50 anos do golpe militar, portanto, motivos não vão faltar para nossas mobilizações e protestos para reivindicar nossos direitos!

Retrospectiva 2013
O PSTU esteve presente nas lutas, juntamente com os trabalhadores, estudantes e movimentos sociais.
Estivemos nas manifestações que varreram o país em junho, nas greves e mobilizações dos trabalhadores de várias categorias pelo país.

Lembramos aqui alguns dos fatos marcantes este ano. O PSTU do Vale do Paraíba deseja boas festas a todos(as) companheiros e companheiras neste final de ano e que em 2014 venham novas lutas e conquistas!


Marcha a Brasília
Mesmo antes dos protestos que tomariam o país em junho, estávamos nas ruas. No dia 24 de abril, estivemos presentes na Marcha a Brasília, realizada pela CSP-Conlutas e outras entidades combativas.
Mais de 20 mil manifestarem tomaram o Planalto em defesa dos direitos e para exigir do governo Dilma mudanças na política econômica a favor dos trabalhadores.
Ao longo do ano, dias nacionais de luta mobilizaram trabalhadores em todo o país, como no dia 11 de julho e 30 de agosto, com paralisações, greves e até ocupação na Dutra.


Lutas em defesa da soberania do país
A mobilização contra o Leilão do Campo de Libra, reserva petrolífera do pré-sal, foi um dos destaques em 2013.
Apesar de ter dito na campanha que não privatizaria o pré-sal, Dilma fez o contrário e leilou uma das maiores reservas de petróleo do mundo.
Denunciamos a privatização do pré-sal brasileiro e apoiamos a forte greve nacional feita pelos petroleiros.


Encontro Nacional do MML
Nos dias 4, 5 e 6 de outubro, aconteceu o 1° Encontro Nacional do Movimento Mulheres em Luta. Com a participação de 2.300 mulheres de todo o país, o encontro serviu para debater e organizar a luta contra o machismo e a violência contra as mulheres. Foi um dos maiores eventos do feminismo classista dos últimos 20 anos.
O evento foi precedido por encontros regionais em todo o país e, em São José , o MML realizou a atividade na sede do Sindicato dos Metalúrgicos e reuniu mais de 100 mulheres. Uma grande vitória!


Consciência Negra contra o genocídio nas periferias
Num ano em que o racismo de Estado e o genocídio da juventude pobre e negra nas periferias, infelizmente, ganharam as páginas dos jornais, com casos como a tortura e morte do pedreiro Amarildo, no Rio de Janeiro, os assassinatos de Jean e Douglas, pela PM em São Paulo, nossa luta também foi forte.
Na semana do dia 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, a Marcha da Periferia tomou várias cidades do país para denunciar essa situação. Em São José, realizamos uma passeata, para denunciar a morte do jovem grafiteiro Richard David, também assassinado pela polícia.


Pinheirinho e movimentos sociais
Este ano, as famílias do Pinheirinho tiveram uma importante vitória, com a definição pelos governos federal, estadual e municipal da compra de um terreno de 645 mil metros quadrados, no bairro Putim 2, na região sudeste de São José. No local, serão construídas 1.800 casas aos ex-moradores da ocupação que foram despejados em 2012.
É o resultado da luta dos moradores da antiga ocupação que se tornou referência para o movimento popular em todo o país.
Na luta por moradia, vale destacar também as ocupações Esperança, em Osasco, e William Rosa, em Contagem, iniciadas este ano e que têm o Movimento Luta Popular à frente.


Luta pela anistia e comissão da verdade
Em 2013, a Comissão Nacional de Anistia reconheceu a perseguição política a ex-militantes da Convergência Socialista, organização que deu origem ao PSTU. Uma vitória histórica para nossa organização, que reconhece o papel da CS na luta contra a ditadura e pela redemocratização no país.
Companheiros e companheiras, militantes históricos em São José e região, como Ernesto Gradella, Luiz Carlos Prates (Mancha), Toninho Ferreira, Karin Bottini e Lena de Souza também foram anistiados.

Na luta contra a corrupção
No ano marcado pela prisão dos condenados do Mensalão, o PSTU manteve sua postura coerente na luta contra a corrupção, exigindo a prisão de corruptos e corruptores e a devolução dos valores roubados aos cofres públicos.
Em Taubaté, exigimos o “Fora Ortiz, Fora Edson”, diante do escândalo de corrupção envolvendo o prefeito e vice da cidade.
Na ação que propõe o fim do financiamento de empresas às campanhas eleitorais, que começou a ser julgada no Supremo Tribunal Federal (STF), o PSTU foi o único partido a tomar parte da ação, como “Amicus Curiae” (amigo da causa) e também defendeu a medida no tribunal.


Protestos contra os vereadores e contra o aumento da passagem
Quando as prefeituras da região anunciaram o aumento das passagens de ônibus, um das razões das lutas de junho, desde o início não deixamos barato e participamos de todas as manifestações que acabaram levando a um recuo parcial dos prefeitos em São José, Jacareí e Taubaté.
Outra luta que marca o ano foi contra o aumento absurdo de 58% que os vereadores de Jacareí deram aos próprios salários. Juntamente com sindicatos da região, trabalhadores e moradores da cidade, realizamos protestos na Câmara contra essa afronta.

Campanhas Salariais e lutas por direitos
Motivados pelas mobilizações que sacudiram o mundo este ano, trabalhadores de várias categorias como metalúrgicos, construção civil, petroleiros, Correios, entre outros, realizaram fortes campanhas salariais, que garantiram aumento real e direitos. O PSTU participou de várias mobilizações, apoiando greves e paralisações.

Na defesa dos direitos trabalhistas, também nos somamos a importantes lutas como contra o ACE (Acordo Coletivo Especial), proposta da CUT que ameaça direitos garantidos pela CLT, e contra o PL 4330, que libera as terceirizações em todos os setores, num grave ataque aos trabalhadores. A resistência conseguiu impedir esses ataques esse ano.

Juventude
2013 foi o ano da juventude. Vanguarda nas manifestações que tomaram o país, assistimos importantes mobilizações de estudantes e jovens pelo país, nas universidades, nas ruas, nas fábricas. Em São José, não foi diferente. Na luta contra o aumento da passagem, a juventude esteve à frente, bem como em mobilizações como contra o aumento da mensalidade na Univap.



Internacionalismo
Revoluções e grandes manifestações continuaram a marcar o cenário mundial em 2013, com os trabalhadores e povos de vários países indo à luta. A LIT-QI (Liga Internacional dos Trabalhadores - Quarta Internacional) tem acompanhado de perto esses processos. Em nossa regional, a situação mundial foi tema de palestras, reforçando o caráter internacionalista e a solidariedade de nossa classe às lutas em todo o mundo.