22 de novembro de 2013

Contra aumento da mensalidade, estudantes da Univap dizem: este ano, o aumento é zero!

22/11/2013 - Os estudantes da Univap se colocaram em luta! Indignados com as condições na universidade de São José dos Campos e com mais um aumento na mensalidade, alunos de vários cursos realizaram um protesto nesta quinta-feira, dia 21. A Univap anunciou um reajuste de 6% para 2014 em todos os cursos da instituição, que já será cobrado a partir da rematrícula para o próximo trimestre.

Com cantos como: “oh colega, oh professor, me diz ai se o teu salário aumento” ou “Ei reitor, te liga neste toque, a estudantada não aguenta mais um golpe!”, cerca de 60 estudantes com cartazes e faixas fizeram um trancaço no portão principal do campus Urbanova, conversando com os que chegavam.

Na mobilização, que contou com o apoio da Anel (Associação Nacional dos Estudantes Livre), estiveram presentes estudantes dos cursos de educação e artes, história, pedagogia, artes visuais, educação física, comunicação, direito, além de outros cursos e universidades, demonstrando que os ventos de junho mudaram a cara do país.

Foi fácil perceber que a imensa maioria dos alunos apoia a mobilização e está indignada com mais esse ataque. A palavra de ordem que ecoou nos corredores foi: “Este ano, o aumento é zero”!

Educação não é mercadoria, reitor!
A mobilização dos alunos teve início com a formação de um coletivo na Faculdade de Educação e Artes – FEA para cobrar soluções dos problemas comuns aos cursos da Univap. Surpreendidos com o aumento da mensalidade, os estudantes resolveram aumentar a mobilização juntamente com outros cursos.

Em uma reunião realizada com uma comissão de alunos na semana passada para discutir o aumento com o reitor Jair Candido de Melo, que recebe R$ 33 mil mensais, os estudantes tiveram de ouvir absurdos como: "a condição financeira do aluno não é culpa da Univap".

"Nós somos uma entidade privada, ou seja, por que vocês não financiam como se faz em todo lugar no mundo, que o individuo se endivida e vai pagar depois?". Sobre o fechamento de cursos da FEA respondeu: "Nós temos culpa do brasileiro não querer ser professor?".

Diante do pedido de uma audiência pública com os alunos sobre o aumento da mensalidade, ele disse: "Não tem negócio de audiência pública! Por quê? Quem não entende reajuste?". "O problema técnico de administração da universidade não é do aluno. (...) Se você entrar numa igreja você tem que rezar, meu irmão. Você entrou numa escola que custa mil reais ... Por que quando você entrou por mil reais pressupõe que você tem capacidade financeira de responder por aquilo", disse.

Não reitor, vergonhosa é a sua postura de total descaso com a educação!

Nas universidades privadas e filantrópicas, como é o caso da Univap, o governo federal emprega milhares de reais do dinheiro público em incentivos e isenções de impostos, dinheiro que deveria ser investido para subsidiar as mensalidades e melhorar as condições de ensino.

A juventude que foi para as ruas vai barrar o aumento da mensalidade! O recado nesta quinta-feira foi claro: se o aumento persistir, iremos intensificar as mobilizações, pois a disposição dos estudantes é gigante! Estamos apenas começando.

Uma nova mobilização já está sendo convocada para a próxima terça-feira, às 18h, no portão principal do campus Urbanova.

A ANEL e a juventude do PSTU apoiam este movimento e se colocam ao lado dos lutadores e lutadoras para barrar este aumento!

Vem somar! Esse ano, o aumento é zero! #terçavaisermaior


Por Edgar Fogaça, da Juventude do PSTU